Coluna: Quinze anos depois da tragédia de Imola, o que aconteceu com os pilotos sobreviventes?

Neste primeiro de maio faz quinze anos que o Brasil perdeu o gênio Ayrton Senna, na fatídica Curva Tamburello. Num dos mais negros finais de semana da historia do automobilismo, vinte e oito pilotos começaram a disputa da 3ª etapa do Mundial.

Na sexta-feira o Brasil se assustou com o acidente do então novato Rubens Barrichello, que voou com sua Jordan-Hart na curva antes dos pits. O carro bateu no topo da barreira, voltando para a pista de cabeça para baixo. Barrichello foi socorrido inconsciente, mas a rápida intervenção medica o impediu apenas de não disputar a prova.

No dia seguinte o austríaco Roland Ratzemberger, da Simtek (quase ninguém se lembra dele), morreu após bater violentamente na curva Villeneuve a mais de 250 km/h. O piloto chegou a ser levado de helicóptero para um hospital de Bolonha, onde a morte foi oficialmente confirmada poucos minutos depois.

O acidente de Roland abalou Senna, que acabou marcando a pole-position para o GP. No começo da sexta volta da corrida Senna passou direto pela Tamburello, batendo no muro. O Williams-Renault do tri-campeão parou no meio da pista. Mesmo sendo removido de helicóptero para um hospital de Bolonha, Senna faleceu naquela tarde. Um pedaço da suspensão dianteira do carro perfurou o capacete de Senna, acertando sua cabeça.

O enterro de Senna parou o Brasil, comovendo multidões, que foram dar o último adeus, ao grande ídolo.

A corrida, contudo continuou, sendo vencida pelo alemão Michael Schumacher, da Benetton. Passados quinze anos o que aconteceu com os pilotos presentes naquele 1º de maio de 1994?

Michael Schumacher (ALE- Ferrari) – Se tornou o piloto com mais títulos Mundiais de F-1, com sete (1994, 1995, 2000, 2001, 2002, 2003, 2004). Aposentou-se em 2006.

Nicola Larini (ITA- Ferrari) – Disputou a F-1 até 1997. Passou para as provas de turismo e protótipos. Atualmente compete no WTCC.

Mika Hakkinen (FIN-McLaren) – Foi Bi-Campeão de F1 em 1998 e 1999. Disputou a F-1 até 2001. Passou depois pelo DTM, se retirando em 2007.

Ukyo Katayama (JAP- Tyrrell) – disputou a F-1 até 1997. Venceu às 24 Horas de Le Mans, na classe GTP em 1999. No ano passado disputou a SpeedCar.

Damon Hill (ING- Williams) – Campeão de F-1 em 1996, deixou a categoria, e as pistas, três anos depois.

Heiz-Harald Frentzen (ALE- Sauber) – Disputou a F-1 até 2003. Em 1997 foi vice-campeão. Passou depois pelo DTM e desde o ano passado corre a SpeedCar.

Martin Brundle (ING- McLaren) – Deixou a F-1 em 1996. Disputou nos anos seguintes às 24 Horas de Le Mans. No ano passado fez três provas na F-Palmer-Audi, categoria de acesso inglesa, mais como incentivo ao filho, Alex. É comentarista de F-1 para a TV inglesa.

Mark Blundell (ING-Tyrrell) – Disputou a F-1 até 1995. Fez sucesso na F-Indy nos anos seguintes, vencendo corridas. Depois de deixar os EUA correu nas 24 Horas de Le Mans. Aposentou-se em 2003.

Johnny Herbert (ING-Lotus)– Permaneceu na F-1 até 2000. Venceu quatro GPs. Foi Campeão do LMS, classe LMP1 em 2004. No ano passado foi Campeão do SpeedCar, sendo vice em 2009.

Olivier Panis (FRA-Ligier) – Ficou na F-1 até 2004, vencendo um GP. Desde o ano passado disputa a LMS.

Eric Bernard (FRA-Ligier)– 1994 foi seu último ano na F-1. Passou para as provas de Protótipos, sendo vice-campeão da ALMS em 1999. Em 2002 aposentou-se.

Christian Fittipaldi (BRA-Footwork) – Ficou na categoria até o ano seguinte. Foi para os EUA, onde venceu provas na F-Indy, sendo o primeiro brasileiro a disputar a Nascar em 2003. Voltou para o Brasil em 2005, mas não se firmou na Stock Car. Nos últimos anos pilotou na A1GP, Grand-Am, LMS e ALMS. Em 2009 ainda não disputou nenhuma prova.

Andrea de Cesaris (ITA-Jordan)– Aposentou-se das pistas no final de 1994. Em 2005 reapareceu com o surgimento do GP Masters, que teve vida curta.

Michele Alboreto (ITA-Minardi) – Fez sua última corrida na F-1 no final daquele ano. Passou depois pelo DTM, IRL, passando depois as provas de Protótipos. Faleceu no dia 25 de abril de 2001, testando para a Audi em Lausitzring.

Gianni Morbidelli (ITA-Footwork) – Deixou a F-1 em 1997. Na época já disputava provas de turismo. Em 2007 e 2008 foi Campeão do Superstars Italiano e neste ano do Speedcars.

Pierluigi Martini (ITA-Minardi) – Ficou na F-1 até 1995. Disputou provas no FIA GT e às 24 Horas de Le Mans até 1999, quando se retirou, com exceção de duas provas do GP Masters em 2006. Este ano voltou às pistas no Superstars italiano.

David Brabham (AUS-Simtek) – Correu na F-1 até o final de 1994. Disputou provas de Protótipos na Europa, Austrália e EUA desde então. Venceu o Japonês de GT em 1996, duas vezes às 24 Horas de Le Mans, pela classe GT1, em 2007 e 2008. Foi vice-campeão do ALMS no ano passado e lidera o campeonato em 2009.

Bertrand Gachot (LUX-Pacific) – Saiu da F-1 no ano seguinte. Disputou às 24 Horas de Le Mans e o GT Japonês em 1997 deixando as pistas naquele ano.

Gerhard Berger (AUT-Ferrari) – Três anos depois deixou a F-1 e as pistas. Foi sócio da Toro Rosso até o ano passado, quando vendeu as ações.

Eric Comas (FRA-Larrousse)– Deixou a F1 em 1994. Fez parte do fracassado projeto da Dams nos dois anos seguintes. Foi campeão Japonês de GT em 1998 e 1999. Em 2005 foi 2º nas 24 Horas de Le Mans, na classe LMP1. Em 2006 fez suas últimas provas.

J.J.Lehto (FIN-Benetton) – Em 1994 saiu da F-1. Disputou o DTM, F-Indy, ALMS, onde foi Campeão em 2004, na classe LMP1. Venceu às 24 Horas de Le Mans duas vezes, em 1995, pela classe GT e 2005 pela LMP1. No ano passado disputou o SpeedCar.

Pedro Lamy (POR-Lotus) – disputou sua última prova na F-1 em 1996. Foi Campeão do FIA GT, classe GT2 em 1998, Campeão do GermanV8 em 2003, Campeão do Le Mans Endurance Series, classe GTS em 2004, Campeão do Le Mans Series, classe LMGT1 em 2006 e 2007, as 24 Horas de Nurburgring em 2004 e 2005. Em 2009 já disputou provas na Grand-Am e ALMS.

Paul Belmondo (FRA-Pacific) – Saiu da F-1 em 1994. Passou para as corridas de Protótipos, sendo 3º nas 24 Horas de Le Mans de 2005, na classe LMP2. Não disputa provas desde 2007, quando esteve no FIA GT.

Rubens Barrichello (BRA-Jordan) – Único que permanece na categoria, sendo o piloto que mais disputou GPs na história da F-1. Foi vice-campeão em 2002 e 2004.É o vice-líder da temporada 2009.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest