1000 Milhas Históricas: Rogério Franz/Mario Nardi vence 2a etapa e assume liderança

Evento termina neste domingo, com o trecho entre Campos do Jordão e São Paulo. Chegada será no Shopping Iguatemi

A dupla formada pelo piloto Rogério Franz e Mario Nardi venceu a segunda etapa, Angra dos Reis (RG)/Tiradentes (MG), do Rally 1000 Milhas Históricas Brasileiras. Com um Triumph TR4 1962, Rogério e Mario totalizaram apenas um ponto perdido, garantindo o primeiro lugar nas mais longa etapa da competição, com 630 quilômetros de muitas subidas e descidas pelas serras de Migas Gerais. A segunda colocação foi de Carlos Antunes/Evaldo Luque com BMW 3.0 CS 1972, com 9 pontos pedidos, enquanto Julio Berriel/Vera Nonaka, com Mercedes-Benz 350SL 1973, terminou em terceiro, 15 pontos.

Com o resultado, Rogério Franz e Mario Nardi assumiram a liderança da competição após duas etapas, com 12 pontos. Na vice-liderança estão Júlio Berriel e Vera Nonaka, com 20 pontos, enquanto Carlos Antunes e Evaldo Luque ocupam a terceira posição, com 27 pontos. Destaque para duas duplas femininas entre os dez melhores – Rosário Veppo/Rosangela Dutra, na sexta posição, e Ângela Mendonça/Patrícia Furtado, em décimo.

O Rallye 1000 Milhas Históricas Brasileiras termina neste domingo com o trecho entre Campos do Jordão e São Paulo, com largada às 10h, em frente ao Baden Baden, em Capivari, e chegada por volta das 15h, no Shopping Iguatemi, na capital paulista.

No segundo dia de prova da 1000 Milhas Históricas Brasileira, os clássicos deixaram o litoral do Rio de Janeiro rumo ao interior de Minas Gerais. O percurso entre Angra dos Reis e Tiradentes foi o mais longo da competição com 630 quilômetros de muitas subidas e descidas pelas serras e montanhas gerais.

Além de pilotar e navegar, os competidores ainda viram as lindas paisagens ao longo do percurso como os túneis escavados nas pedras em uma das serras do Rio de Janeiro e as cachoeiras de águas claras que brotavam do alto de montanhas. Os carros cruzaram pequenas cidades do Vale Histórico Fluminense e a população parou para assistir a passagem dos carros de décadas passadas. “Hoje o dia foi puxado, com deslocamentos longos. Mas as paisagens foram maravilhosas. O trecho entre Caxambu e Lima Duarte era muito bonito”, contou James Mendonça, piloto do BMW Alpina 1960, que dividiu o carro com Rodrigo Castro.

O almoço aconteceu no Hotel São Gotardo, em Itamonte, com direito a uma bela vista do Dedo de Deus, na Serra de Itatiaia e céu azul. A segunda parte do dia, a caravana dos clássicos seguiu para Tiradentes, passando por várias fazendas e alguns trechos de estrada em obras. “Alguns trechos estavam muito ruins, porque meu carro é muito baixo e dificultou a passagem”, comentou Thiago Casal de Rey, com uma Ferrari 246 GT-Dino 1974, e seu navegador Bruno Maia Rosa.

Foi um dia cansativo, mas gratificante para todos os competidores. Histórias diferentes e até engraçadas acontecem ao longo das 1000 Milhas. A dupla Bruna Frazão e Miriam Guimarães, passou apertada com os faróis desregulados. “Quando anoiteceu o farol não iluminava direito. Ainda bem que dois outros competidores nos ajudaram. E ainda por cima o combustível estava acabando e ainda tinha 30 quilômetros para chegar. A prova está muito divertida”, contou Bruna.

A prova, um rali de regularidade, está assim dividido: 1a Etapa, dia 2 de junho, 400km, São Paulo (SP)/ Angra dos Reis (RJ); 2a Etapa, dia 3, 600km, Angra dos Reis (RJ)/ Tiradentes(MG); 3a Etapa, dia 4, 600km, Tiradentes(MG)/ Campos do Jordão (SP) + etapa noturna; 4a Etapa, dia 5, 170km, Campos do Jordão (SP)/ São Paulo (SP).

Participam da prova: 1 Cadilac, 1 Nash Metropolitan, 1 Fiat, 1 Volvo, 2 Rolls-Royce, 2 Jaguar, 2 MG, 2 Triumph, 2 Ferrari, 2 Renault, 3 Morris, 3 Alfa Romeo, 3 Chevrolet, 4 BMW, 4 VW, 5 Ford, 5 Mercedes-Benz e 8 Porsche

Os dez melhores da segunda etapa foram os seguintes:
1) Rogério Franz/Mário Nardi – Triumph TR4 1962, 1 ponto perdido
2) Carlos Antunes/Evaldo Luque – BMW 3,0 CS 1972, 9
3) Julio Berriel/Vera Nonaka – Mercedes-Benz 350SL 1973, 15
4) Henrique Thielmann/Lucas Larivoir – Mercedes-Benz 500SL 1980, 22
5) James Mendonça/Rodrigo Castro – BMW Alpina 1960, 29
6) Thiago Casal del Rey/Bruno Rosa – Ferrari 246 GT-Dino 1974, 31
7) Rosário Veppo/Rosangela Dutra -Fiat 124 Sport 1967, 40
8) Ulisses Pagliaro/Julio Duarte – Mercedes-Benz 350SL 1971, 59
9) Luiz Leão/Maurício Leão – Porsche 911T 1972, 75
10) Paulo Loma/Sandra Perrone – Puma VW GT-Rallye 1972, 78

A classificação geral após duas etapas está assim:
1) Rogério Franz/Mario Nardi, 12 pontos perdidos
2) Julio Berriel/Vera Nonaka, 20
3) Carlos Antunes/Evaldo Luque, 27
4) Henrique Thielmann/Lucas Larivoir, 28
5) James Mendonça/Rodrigo Castro, 35
6) Rosario Veppo/Rosângela Dutra, 70
7) Paulo Lomba/Sandra Perrone, 120
8) Carlos Sousa/Laurival Calçada, 148
9) Luiz Leão/Maurício Leão, 178
10) Angela Mendonça/Patrícia Furtado – BMW 635 CSI 1979, 180.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *