24 Horas de Daytona: Marcos Gomes disputa a prova com uma Ferrari 488 GT3

Sem ter Ferrari de rua, o filho do tetracampeão Paulo Gomes sonha com vitória e pódio na “24 Horas de Daytona”, com a famosa Ferrari 488 GT3 de pista, para também homenagear o pai, da mesma maneira que fez quando se tornou campeão brasileiro de Stock Car, em 2015.

 

A prova com outros importantes pilotos brasileiros, que começa às 17h40 deste sábado (30/01), será transmitida, ao vivo, na FoxSports 2, sábado, das 17h30 até 20h30 e, domingo, das 15h30 até 18 horas. Os mais fanáticos ainda podem acompanhar no App da ESPN, para smartphone e computador, com transmissão domingo, entre 0h até 3h e das 9h até 12h

 

Emoção não vai faltar para o público e especialmente para um piloto brasileiro neste final de semana, numa das principais provas do automobilismo mundial, a tradicional 24 Horas de Daytona, que começa amanhã (sábado, 30/01), às 17h40 (horário de Brasília). Sem nunca ter tido uma Ferrari de rua, Marcos Gomes participa, pela segunda vez, com a sonhada Ferrari 488 GT3 de pista, na importante corrida norte-americana.

 

“Confesso que como qualquer outro amante de carro esportivo, um dos meus sonhos sempre foi ter uma Ferrari. Mas, como, até hoje é um modelo para poucos e, caro, felizmente, com a minha boa performance nas pistas, eu posso pilotar um dos modelos mais exclusivos e atuais da poderosa marca italiana. Imagino que a maioria dos donos de uma Ferrari de rua gostariam de estar no meu lugar amanhã (sábado), em Daytona”, afirma Marcos Gomes, que para esta disputa recebeu apoio da Viemar Automotive, empresa fornecedora de diversos componentes automotivos no mercado de reposição, que também patrocina o próprio Paulo Gomes, pai dele.

 

Mas o sonho de participar de uma corrida com um dos carros mais esportivos, exclusivos e potentes da desejada fábrica de Maranello, que o seu próprio pai realizou apenas numa antiga corrida de Mil Milhas, em Interlagos e nem completou a prova, Marcos já conseguiu, em 2019, na própria 24 Horas de Daytona, onde obteve a pole-position da classe GTD, mas com alguns problemas acabou terminando em 5º lugar.

 

“Naquela 24 Horas de 2019, já campeão da Stock Car de 2015 e sem a responsabilidade de ter uma conquista da principal categoria do automobilismo brasileiro por ter um pai tetracampeão, eu queria vencer na classe GTD, ou pelo menos, subir no pódio numa Ferrari, para homenageá-lo. Da mesma forma que busquei, por um bom tempo, o título de Stock e consegui honrá-lo, torço muito para que isso também aconteça, neste ano, nos Estados Unidos. Mesmo porque, até hoje, nenhum brasileiro conseguiu uma vitória na classe Gran Turismo Daytona”, adianta Marcos Gomes.

 

Mas se na prova de 2019 Marcos Gomes registrou a pole-position da categoria GTD, nesta 24 Horas, o Ferrari 488 GT3 do piloto brasileiro vai largar na 8ª posição do grid.

 

“A equipe Corsa preferiu me deixar do lado de fora para dar mais chão para os pilotos que menos rodaram na pista. Numa corrida de longa duração como essa, não é tão importante sair na frente e sim ter mais consistência e equilíbrio entre os três ou quatro pilotos que participam em cada um dos times. Assim, acredito que podemos fazer um bom papel”, comentou Marcos Gomes, que tem de parceiros os pilotos Ed Jones, Bret Curtis e Ryan Briscoe.

 

O Brasil deverá também ser muito bem representado na “24 Horas de Daytona” com o Cadillac DPi da equipe Action Express, que largará na “pole-position” da corrida, com Pipo Derani e o Felipe Nasr. Ainda pelo experiente Hélio Castro Neves, que vai sair, em 5º, com o Acura da equipe Wayne Taylor. Outros dois grandes nomes do nosso automobilismo serão o tricampeão da Stock, Daniel Serra, também com Ferrari 488 GT3 e o consagrado piloto de turismo europeu, Augusto Farfus, que participará com um BMW na classe GTLM.

 

Dos brasileiros, os únicos que terão o prazer de pilotar a Ferrari 488 GT3 de pista serão Daniel Serra e Marcos Gomes, coincidentemente dois pilotos que se enfrentam atualmente na Stock e foram os únicos filhos de ex-campeões (Chico Serra e Paulão) a também ganhar títulos na principal categoria do automobilismo brasileiro. Isso em mais de 40 anos.

 

“Filho de piloto consagrado tem uma pressão enorme. Não é fácil repetir um feito do pai numa categoria expressiva e de muito equilíbrio como a Stock. Felizmente, eu consegui em 2015 e o Daniel fez o mesmo, três vezes seguidas, a partir de 2017. Agora, tanto eu quanto ele, temos a chance de obter uma inédita vitória de brasileiro  na 24 Horas de Daytona. Se não der, só o fato de pilotar uma 488 GT3 de pista, cerca de 90 kg mais leve do que a de rua, com mais de 800 cavalos de potência no motor de 8 cilindros em V, central, inteiramente preparada para uma corrida, é de deixar qualquer um muito entusiasmado. Por isso, peço desde já, que os nossos fãs de automobilismo acompanhem mais de perto as nossas participações e torçam também para todos os demais brasileiros”, finaliza o piloto apoiado pela Viemar Automotive.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *