24 Horas de Le Mans: Melo dá bicampeonato à Ferrari na classe GT2

Marca francesa comemora dobradinha na 77ª edição da corrida. Brasileiro conquista segunda vitória consecutiva na classe GT2

A Peugeot pôs fim neste domingo (14) ao domínio da Audi na 24 Horas de Le Mans. Após seis vitórias consecutivas da marca alemã das quatro argolas na corrida de longa duração mais importante do automobilismo mundial, foi a rival francesa quem comemorou a vitória na 77ª edição da corrida. A vitória foi do trio formado pelo britânico David Brabham, o austríaco Alexander Wurz e o espanhol Marc Gené, com o modelo 908 da Peugeot Sport Total.

A festa da Peugeot teve direito a dobradinha, uma vez que o trio francês formado por Sebastien Bourdais, Franck Montagny e Stèphane Sarrazin terminou a prova em segundo lugar, uma volta atrás do carro vencedor. O trio da da Audi Sport Team Joest, que tem o italiano Rinaldo Cappello, o escocês Allan McNish e o dinamarquês Tom Kristensen – campeões em 2008 –, restou a terceira posição, com desvantagem de sete voltas em relação aos campeões.

A edição deste ano 24 Horas de Le Mans também teve vitória brasileira. Jaime Melo Júnior conquistou a corrida pela segunda vez consecutiva na classe GT2, revezando com o finlandês Mika Salo e o alemão Pierre Kaffer a pilotagem da Ferrari F430 GT da Risi Competizione, mesma equipe pela qual participa desde 2007 da American Le Mans Series. Em sua primeira vitória em Le Mans, há um ano, Melo Júnior teve como parceiros Salo e o italiano Gianmaria Bruni.

Foi o piloto brasileiro quem largou para a disputa. Da terceira posição em sua classe no grid, passou à liderança ainda na primeira volta. No primeiro turno de pilotagem, revezou-se à frente com o norte-americano Patrick Long, da IMSA Performance Matmut, e com o alemão Marc Lieb, do Team Felbermayr-Proton – os dois pilotaram o modelo 911 GT3 RSR da Porsche. A quebra do carro de Lieb facilitou a Melo a tarefa e administrar a liderança até a terceira hora de prova.

Kaffer assumiu o segundo turno da pilotagem e, com alguma dificuldade, manteve o primeiro lugar da equipe. Foi com Salo ao volante do carro que a Risi Competizione solidificou sua liderança, beneficiada pelos problemas que tiravam de combate os carros mais cotados para impedir seu bicampeonato. A vantagem aumentou na segunda vez que Melo foi para a pista, num turno que durou mais de três horas – o brasileiro, inclusive, largou e terminou a corrida.

“Foi um grande fim de semana, devemos tudo isso ao ótimo trabalho de preparação da Risi Competizione”, atribuiu o piloto brasileiro. “De certa forma, nós conseguimos diminuir o favoritismo das equipes da Porsche. Essa pista tem retas muito longas, e desde o início do ano essa tem sido uma característica favorável aos Porsche”, avaliou. “Mesmo assim, nunca deixei de acreditar no potencial da Risi, eu sabia que a equipe tinha um ótimo acerto para Le Mans”.

O bicampeão das 24 Horas de Le Mans chamou atenção para a disputa acirrada pela liderança da GT2 no início da prova. “Numa corrida tão longo, não é normal, mas foi uma disputa muito interessante. E nossa estratégia era a de tomar o máximo de cuidado nas seis primeiras horas da corrida, para não cometermos erros. Isso foi determinante para nossa vitória. A equipe inteira esteve consistente, o trabalho de todos os pilotos foi ótimo, é um grande momento”, comemorou.

A maior dificuldade da equipe vencedora da classe GT2 foi verificada no último turno de pilotagem, que teve Melo Júnior na pista. “Fui obrigado a mudar a tocada, o carro tinha um problema no amortecedor traseiro. Aliviei o ritmo e passei a evitar subir nas zebras da pista”, contou o brasileiro. “A equipe decidiu não trocar pneus no último pit stop, mesmo com a bandeira amarela. Se a gente erguesse o carro para trocar, o problema poderia se agravar”, acrescentou.

Melo Júnior, Salo e Kaffer lideraram 265 das 328 voltas que completaram para a vitória em Le Mans – Brabham, Wurz e Gené, vencedores na classificação geral, totalizaram 382 giros pelo traçado francês de 13.629 metros. O brasileiro foi quem mais pilotou a Ferrari F430 GT número 82 na corrida. Ele cumpriu quatro turnos – o primeiro e o terceiro, com cerca de duas horas, cada; no segundo e no último, permaneceu na pista por mais de três horas.

O modelo F430 GT da Ferrari foi soberano na disputa da GT2, levando os trios que o utilizam às quatro primeiras colocações na disputa. Os italianos Fabio Babini, Matteo Malucelli e Paolo Ruberti, da BMW Scuderia Italia, terminaram em segundo, a duas voltas dos vencedores. Tracy Krohn, Nic Jonsson e Eric van de Poele, com o outro carro da Risi, foram ao pódio em terceiro. Robert Bell, Andrew Kirkaldy e Tim Sugden, da JMW Motorsport, ficaram em quarto.

Melo Júnior foi o único piloto do Brasil a concluir a prova. O paulista Bruno Senna, que fez sua estreia nas 24 Horas de Le Mans pela classe LM P1, e o carioca Thomas Erdos, pela LM P2, abandonaram a corrida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *