A VITÓRIA ESTÁ NO DNA DA ALPINE

as palavras de Pierre de Coubertin, que entrou para a história como o fundador dos Jogos Olímpicos da era moderna, o essencial é participar. Mas não no caso da Alpine! Orquestrador do retorno da marca às competições em 2013, Philippe Sinault, diretor Geral da equipe de endurance Signatech-Alpine, nos explica a que ponto a vitória faz parte do DNA da Alpine.
 
Na memória de algumas pessoas, a ação se passa em uma Etapa Especial do Rali de Monte Carlo, em um itinerário traçado em meio aos picos dos Alpes – o mesmo terreno que inspirou o nome da marca Alpine – ou nas pistas empoeiradas do Rali da Acrópole ou do Marrocos. Para outras, é um circuito que se apresenta como uma vaga lembrança: durante uma corrida de monopostos ou na longa reta das 24 Horas de Le Mans… Ou, ainda, no trajeto parte em estrada de terra e parte asfaltada de uma prova de rallycross.
 
As vitórias da equipe com a cor azul 
De qualquer forma, as memórias de um carro da Alpine disputando uma corrida sempre se fundem com as lembranças de seus sucessos. Basta dar uma olhada – mesmo que rápida – na lista de premiações da Alpine para ter certeza disso: desde a sua criação, em 1955, por Jean Rédélé, a marca Alpine brilha em todos os terrenos e vibra no ritmo das vitórias. Apesar da neve, chuva, o cair da noite e as adversidades, os modelos Alpine sempre souberam aproveitar sua lendária leveza e agilidade para levar o azul da França à vitória. A cereja do bolo foi o título de campeã do mundo de ralis, em 1973, e a vitória nas 24 Horas de Le Mans, em 1978.

De volta às pistas! 
Após ter ficado um longo tempo longe das pistas, era natural que a marca reacendesse essa chama da paixão, para recuperar o sabor inigualável da vitória. A partir de 2013, é convocado um esquadrão para formar a equipe de endurance Signatech-Alpine. Philippe Sinault, seu diretor Geral, nos conta como aconteceu este renascimento.
 
“Esta aventura da Alpine foi iniciada ao final de 2012, quando o Grupo Renault nos comunicou sobre sua vontade de relançar a Alpine. A ideia era pensar em como fazer o retorno desta marca emblemática às competições.  Rapidamente, identificamos que a categoria endurance seria a melhor plataforma”, explica Philippe Sinault, diretor Geral da Signatech-Alpine 
  
 Espírito batalhador
Em 2013, após 35 anos desde sua estrondosa vitória nas 24 Horas de Le Mans, a Alpine retornava aos circuitos, na categoria LMP2.
O espírito batalhador, que nos move todos os dias, é o mesmo que caracterizou a história da Alpine nas competições, garante Philippe Sinault. Nossa forma de trabalhar é muito parecida com a daquela época: podemos ter menos recursos que os outros para trabalhar, mas temos muito mais criatividade e determinação.
 
O reencontro com a vitória
Esta estratégia permitiu que a Alpine pudesse voltar rapidamente a sentir o gostinho da vitória. Consagrada campeã da Europa de Endurance em 2013 e 2014, a equipe Signatech-Alpine participou do Campeonato Mundial em 2015, vencendo as 24 Horas de Le Mans em 2016, 2018 e 2019 em sua categoria, além de conquistar o título mundial da categoria LMP2 em 2016 e 2019. Isso foi suficiente para alimentar objetivos ainda mais ambiciosos em 2021.
 
“Após oito anos de histórias de sucesso na categoria LMP2, abraçamos um novo desafio para 2021. Este é realmente um novo capítulo que começa a ser escrito, pois agora o nosso objetivo é conquistar a vitória na classificação geral. Partir em busca do Santo Graal das corridas de endurance é uma conquista fantástica para nós!”, confessa Philippe Sinault. 
 
 Em todas as frentes! 
Além desta participação no Campeonato Mundial de Endurance – WEC, na categoria Hypercar – e nas 24 Horas de Le Mans, a temporada 2021 se apresenta realmente como o ano de todos os desafios para a Alpine. A marca com o A em forma de flecha também estará presente na Fórmula 1 – pela primeira vez! – assim como em ralis. E é exatamente nesta categoria que a Alpine conquistou seus primeiros louros do ano. Depois de 50 anos desde a primeira vitória da marca no Rali de Monte Carlo, um Alpine A110 Rally que participou da corrida tendo como piloto um competidor particular venceu na classificação R-GT, durante a edição 2021 da prova. Não há dúvida que o DNA da Alpine não para de mostrar do que é capaz…
 
Principais sucessos da Alpine 
As vitórias da Alpine nas competições são contadas às centenas. Entre seus principais sucessos internacionais, destacam-se:
– Ralis: campeão internacional de marcas em 1971, campeão mundial de rali em 1973, vitórias no Rali de Monte Carlo de 1971 e 1973. 
– Endurance: vitória no índice de performance das 24 Horas de Le Mans, em 1964 e 1966, Campeão da Europa de Marcas em 1974, vitória nas 24 Horas de Le Mans, em 1978.
– Monopostos: campeão da Europa de Fórmula Renault, em 1972.
– Rallycross: campeão da Europa, em 1977.
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *