ALPINE ACADEMY APRESENTA SEU LINE-UP PARA 2021

  • Renault Sport Academy passa a se chamar Alpine Academy, em linha com a nova identidade da equipe de Fórmula 1.
  • Guanyu Zhou, Christian Lundgaard, Oscar Piastri e o brasileiro Caio Collet continuam no programa em 2021.
  • Victor Martins faz seu retorno ao programa.
  • Line-up de pilotos promissores inclui os atuais detentores dos títulos do Campeonato de Fórmula 3 da FIA e da Fórmula Renault Eurocup.
  • Todos os cinco pilotos farão parte do programa de suporte da F1, por meio de sua participação nos Campeonatos de Fórmula 2 e Fórmula 3 da FIA.

A Alpine F1 Team tem o prazer de apresentar os membros de sua Academy, que entra no sexto ano de atividade em 2021. Victor Martins volta a fazer parte do grupo, ao lado de Christian Lundgaard, Guanyu Zhou, Oscar Piastri e o brasileiro Caio Collet, que já integravam o programa no ano passado.

Nesta temporada, Guanyu Zhou inicia sua terceira campanha na Academy e na Fórmula 2. O talentoso piloto chinês de 21 anos continua na equipe UNI-Virtuosi Racing, após ter conquistado sua primeira vitória na categoria no ano passado, na Rússia. Este sucesso fez dele o primeiro piloto da China Continental a vencer uma corrida internacional de monopostos.
 
Veterano no programa do alto de seus 19 anos, Christian Lundgaard parte para o ataque em seu quinto ano na Academy. O dinamarquês correrá novamente pela equipe ART Grand Prix na antecâmara da Fórmula 1, após ter impressionado com duas vitórias e quatro pódios desde sua primeira temporada.
 
Consagrado Campeão da FIA de Fórmula 3, Oscar Piastri também estará correndo na Fórmula 2. Depois de uma campanha ritmada por duas vitórias, mais quatro pódios e a coroa, o australiano de 19 anos entra para a categoria com a PREMA Racing, atual detentora do título de equipes.
 
O line-up da Alpine Academy deste ano é complementado por Victor Martins, atual detentor da coroa da Fórmula Renault Eurocup, e seu companheiro de equipe, o brasileiro e vice-campeão Caio Collet. Após o fascinante duelo da dupla pela vitória, Victor e Caio passam a fazer parte da equipe MP Motorsport na Fórmula 3. Victor também está de volta após ter feito parte do programa pela primeira vez em 2018.
 
A primeira largada da temporada 2021 do Campeonato de Fórmula 2 da FIA está prevista para o final de março no Bahrein, evento que coincide com o primeiro encontro do calendário da F1. Victor e o brasileiro Caio terão que esperar um pouco mais – a Fórmula 3 só volta a sediar eventos em maio, no Circuito de Barcelona-Catalunha.
 
 “A Academy está entrando em uma fase importante de sua expansão desde que foi lançada, em 2016. Reunimos um line-up formado por pilotos bastante experientes, que têm na conta 17 vitórias e 2 títulos em 2020. Na Fórmula 2, teremos três pilotos extremamente competitivos, que já demonstraram do que são capazes. Guanyu Zhou parte para o ataque em sua terceira campanha na categoria e chegou a hora de usar sua experiência e potencial para se tornar campeão. Também temos grandes expectativas em relação a Christian Lundgaard, que poderá brigar pela coroa após ter demonstrado todo seu talento na temporada passada. Já Oscar Piastri, nosso iniciante na F2, começa o ano com total confiança, após sua consagração na Fórmula 3, no ano passado. Nossa dupla na F3 também promete, com Victor Martins, que se consagrou na Eurocup, e o brasileiro e vice-campeão Caio Collet, ambos na equipe MP Motorsport. Estamos muito felizes por receber o Victor novamente, que já esteve conosco no programa, em 2018. Os pilotos da Academy sabem o que espera por eles em nossa escuderia na Fórmula 1. As oportunidades serão abertas àqueles que demonstrarem a melhor performance entre eles”, explica Mia Sharizman, diretor da Alpine Academy.

“Temos orgulho de apresentar o sexto line-up de pilotos da Academy – o primeiro sob a égide da Alpine Racing. Ter um programa de jovens pilotos faz parte do nosso DNA como equipe de corrida e, assim como fizemos nos anos anteriores, a Academy vai se beneficiar do desenvolvimento da escuderia de Fórmula 1. O objetivo da Academy sempre foi permitir o desenvolvimento e a ascensão de nossos jovens pilotos, para que eles se tornem campeões vestindo as nossas cores na F1. Estamos mais determinados do que nunca a atingir nosso objetivo. Neste ano, estamos ansiosos para ver nossas esperanças se concretizarem com muitos sucessos, tanto na Fórmula 2 como na Fórmula 3, para levar o nome Alpine ao mais alto degrau do pódio, diz Laurent Rossi, CEO da Alpine Cars.

ALPINE ACADEMY
 
Comemorando seis anos em 2021, a Alpine Academy – anteriormente Renault Sport Academy – inicia este ano sua transição como Alpine F1 Team. O programa ganhou mais força a cada ano desde que foi iniciado, em 2016. Desde o início, o objetivo era claro e continua sendo levar um piloto da Alpine Academy para a Fórmula 1 e fazer dele um campeão mundial com a equipe.
 
Apesar de 2020 ter sido um ano desafiador para o automobilismo esportivo, a Academy conseguiu concluir um programa completo na categoria júnior dos esportes a motor, atingindo resultados excelentes tanto dentro como fora das pistas. Além do sucesso individual conquistado por seus jovens pilotos em cada uma das temporadas respectivas, os pilotos da Academy acumularam experiência inestimável nos diversos ‘driver test days’ realizados junto com a equipe de Fórmula 1 no decorrer do ano, o que também contribuiu para o desenvolvimento da equipe de corrida como um todo.
 
Neste ano, a Alpine Academy conta com cinco pilotos. Há mais tempo no programa, o dinamarquês Christian começa sua quinta temporada na Academia e a segunda na FIA Fórmula 2, com a equipe ART Grand Prix, tendo na conta duas vitórias em sua campanha como novato. O chinês Zhou iniciará seu terceiro ano com a Academy, iniciando mais uma temporada na Fórmula 2 com a UNI-Virtuosi Racing, após sua primeira vitória na categoria no ano passado. Fechando o time de competidores na Fórmula 2 está o australiano Oscar – atual detentor do título do Campeonato de Fórmula 3 da FIA – que iniciará sua temporada como novato na categoria, defendendo os campeões PREMA Racing.
 
Completa o line-up de 2021 da Alpine Academy o atual campeão da Fórmula Renault Eurocup, o australiano Victor Martins, além do vice-campeão da categoria, o brasileiro Caio Collet. Victor participa do programa pela segunda vez, tendo participado pela primeira vez no início de 2018, enquanto que o brasileiro Caio está iniciando seu terceiro ano com a Academy. Tanto Victor como Caio vão competir nas sessões dedicadas aos novatos na Fórmula 3 deste ano como companheiros na equipe MP Motorsport, depois de uma batalha emocionante no ano passado na Eurocup.

Mia Sharizman, Diretor da Alpine Academy:
 
Como você avalia as ambições de Zhou, Christian e Oscar na temporada 2021 do Campeonato de Fórmula 2 da FIA?
Na Fórmula 2, temos o chinês Zhou correndo pelo terceiro ano na categoria, o dinamarquês Christian iniciando seu segundo ano, e o australiano Oscar começando como novato. O nível e a concorrência entre nossos três pilotos será bastante alta e esperamos que eles pressionem uns aos outros e aumentem o nível de competências. Zhou e Christian continuam com suas respectivas equipes da temporada anterior e o Oscar continua com a PREMA. Com isso, os três pilotos terão estabilidade para se concentrar e maximizar o trabalho feito entre a equipe e os pilotos. A meta é clara: vencer o campeonato. Nosso objetivo está sendo fixado em meio a muita pressão, mas acreditamos que o Zhou e o Christian tenham experiência suficiente para gerenciar a situação, pois já competiram na Fórmula 2, enquanto que o Oscar tem a experiência de ter brigado pelo título e vencido o campeonato de Fórmula 3 no ano passado, nas últimas voltas da última corrida.

Quais são as metas para o trio de pilotos da Fórmula 2?
O Zhou não terá nada a perder, mas apenas a ganhar ao iniciar seu terceiro ano na Fórmula 2. Acreditamos que a experiência que ele acumulou nos últimos dois anos vai ajudá-lo a ter um desempenho consistente, com um nível bastante alto.
 
Esta será a primeira vez que o Christian vai participar de um campeonato de corrida pelo segundo ano. Desde que deixou o kart, ele fez apenas uma temporada em cada campeonato. Temos total confiança na capacidade do Christian de maximizar seu potencial para brigar pelo título.
 
Já o Oscar é um piloto que venceu campeonatos de ponta a ponta, tanto na Fórmula Renault Eurocup como na Fórmula 3. Ao continuar seu desenvolvimento com a PREMA, acreditamos que ele brigará pelo pódio e pela vitória. Os três pilotos sabem que nossa estrutura na Fórmula 1 está ao alcance de suas mãos. A oportunidade se abrirá para aqueles que tiverem a melhor performance.
 
Qual é a sua opinião sobre o Caio e o Victor correndo na Fórmula 3?
Na Fórmula 3, acreditamos que temos a melhor dupla de pilotos, com o brasileiro Caio e o australiano Victor. Estamos acolhendo o Vitor novamente no programa, após a conquista do título na Fórmula Renault Eurocup, em 2020. Temos visto o forte desenvolvimento do Caio nos últimos dois anos na Eurocup e acreditamos que agora ele está pronto para a Fórmula 3. Ambos os pilotos brigaram cabeça a cabeça no ano passado e acreditamos que, ao trabalhar em conjunto na mesma equipe, os dois pressionarão um ao outro e a equipe até o limite máximo. A escolha pela MP Motorsport na Fórmula 3 foi uma grande decisão para todos, incluindo os pilotos. Temos aumentado a parceria com a MP na Eurocup nos últimos três anos com muito sucesso e acreditamos que esta é a hora certa para criarmos e construirmos algo juntos na Fórmula 3. Esperamos ver alguns bons resultados positivos com a parceria Caio-Victor-MP neste ano.
 
Como a Alpine Academy está trabalhando em conjunto com as diferentes equipes de categoria júnior?
Assim como fazemos com a MP Motorsport na Fórmula 3, estamos trabalhando mais próximo do que nunca com nossos parceiros PREMA, UNI-Virtuosi e ART Grand Prix na Fórmula 2. Continuamos a expandir e construir nossa relação com eles, por meio da expertise e as ferramentas que temos, com a esperança de que eles desenvolvam nossos pilotos e alcancem o maior sucesso nas fórmulas júnior.
 
A equipe vai continuar usando sua equipe de testes da Fórmula 1 para os testes de jovens pilotos?
O foco e o objetivo sempre foram preparar os pilotos a qualquer momento em que eles tenham a oportunidade de estar em um carro da Fórmula 1. Da mesma forma, ela treina a equipe de testes antes de eles migrarem para a equipe de corrida. Por isso, o programa de testes privados da Fórmula 1 em vários circuitos com o carro Renault R.S. 18 continuará neste ano, para ajudar na preparação de ambos os lados. A experiência que os pilotos acumulam no programa de testes da Fórmula 1, alinhada com a performance e a entrega de resultados na Fórmula 2, fortalecerá ainda mais a possibilidade de nossos pilotos serem escolhidos para a equipe de Fórmula 1.

Christian Lundgaard
 
Campeonato de Fórmula 2 da FIA, ART Grand Prix
 
Twitter: @lundgaardoff
Instagram: lundgaardofficial
 
Idade: 19
Nacionalidade: Dinamarquês
 
2020
Vitórias: 2
Pódios: 4
Pole Positions: 1
Voltas mais rápidas: 1
Pontos: 149
 
Campeonatos anteriores:
2020: 7º, Campeonato de Fórmula 2 da FIA
2019: 6º , Campeonato de Fórmula 3 da FIA
2018: 2º (1º Novato), Fórmula Renault Eurocup
2017: 1º SMP F4 NEZ; 1º, Campeonato Espanhol de Fórmula 4
 
Christian continua no programa pelo 5º ano consecutivo, tendo entrado para a Academy em 2017. Após uma campanha promissora como novato no Campeonato de Fórmula 2 da FIA – com duas vitórias – Christian continua correndo pela ART Grand Prix na principal categoria de suporte à Formula 1 em 2021, estendendo sua parceria com a equipe francesa pela terceira temporada.
 
O jovem dinamarquês entrou para a Academy após uma carreira impressionante nos campeonatos Europeu e Mundial de Kart. Seu primeiro ano em categorias monoposto culminou com dois títulos na Fórmula 4 – o NEZ e o espanhol – antes de terminar como vice-campeão na temporada 2018 da
Fórmula Renault Eurocup como novato. Em 2019, Christian evoluiu para a Fórmula 3, terminando em sexto, antes de avançar para a Fórmula 2, no ano passado.
 
Perguntas & Respostas
 
Como você se sente ao iniciar sua quinta temporada na Academy?
É bastante positivo estar com a equipe por cinco anos. Quando entrei para a equipe eu ainda era adolescente, tinha apenas 16 anos. Cresci junto com a equipe, aprendi e amadureci durante estes anos, me desenvolvi não apenas como piloto, mas como ser humano. Aprendi muito durante este processo, mas ainda tenho muita coisa para fazer e conquistar, por isso continuo firme. Eles veem que tenho potencial, temos a mesma paixão pelo esporte e o mesmo sonho, por isso queremos continuar juntos. Estou muito feliz por estar com a equipe, é mais uma grande oportunidade. Sou muito grato por todos os envolvidos fazerem com que isso seja possível.
 
Quais são suas percepções a respeito da campanha 2021 no Campeonato de Fórmula 2 da FIA?
Pensando em 2020, acho que foi acima de tudo um ano positivo. Em relação à equipe, não atingimos o potencial máximo que tínhamos à disposição em termos de velocidade. Tivemos alguns resultados bons e, ao analisar as estatísticas, eles são melhores do que parecem do ponto de vista de quem vê de fora, o que comprova que temos potencial para vencer o campeonato. Algumas coisas não aconteceram como queríamos – apesar de não ser uma desculpa – e estamos confiantes que, se alinharmos tudo muito bem, poderemos chegar lá. Esse é o objetivo e o plano para 2021. Temos as ferramentas e vamos fazer acontecer.
 
Quais são os benefícios de fazer parte da Academy?
O maior benefício é aprender para aguentar a pressão. É muito bom aprender como lidar com isso desde cedo, nas categorias iniciantes, pois isso ajuda nas diferentes categorias. Todas as ferramentas que temos na Academy e dentro da própria equipe são benéficas. Temos tudo o que precisamos para nos aprimorarmos, como os training camps, por exemplo. Qualquer um pode organizar um training camp, mas, no longo prazo, o que faz toda a diferença é ter estes treinamentos específicos com outros pilotos, instrutores profissionais e todas as pequenas coisas que acontecem nos bastidores. Também podemos trabalhar de forma próxima com os engenheiros da F1 e isso é algo completamente diferente nas categorias juniores iniciantes. Temos muitas ferramentas para nos ajudar a desenvolver e melhorar como pessoas e como pilotos.
 
Como está sua preparação neste início de ano?
Dei uma relaxada entre o Natal e o Ano Novo e passei um tempo em casa. A partir de 2 de janeiro, comecei a treinar e a me preparar diariamente. A situação da Covid dificultou um pouco a preparação física, mas tenho uma academia em casa e a Team Denmark ajudou abrindo alguns centros de treinamento muito bons. A mais próxima fica a uma hora de carro da minha casa, por isso os dias acabam sendo longos, sem muito tempo para descansar! Também tenho analisado alguns detalhes, como algumas corridas, estudando relatórios, verificando dados das corridas de anos anteriores, para aprender e entender o máximo possível. Tenho me dedicado a várias atividades mais técnicas com a equipe e a Academy, fazendo contatos diários com diferentes pessoas para me manter sempre atualizado. Sinto-me pronto para a temporada e não vejo a hora de começar a correr.

Guanyu Zhou
 
Campeonato de Fórmula 2 da FIA, UNI-Virtuosi Racing
 
Weibo: @车手周冠宇
Instagram: gyzhou_33
 
Idade: 21
Nacionalidade: Chinês
 
2020
Vitórias: 1
Pódios: 5
Pole Positions: 1
Voltas mais rápidas: 4
Pontos: 151.5
 
Campeonatos anteriores:
2020: 6º, Campeonato de Fórmula 2 da FIA
2019: 7º, Campeonato de Fórmula 2 da FIA
2018: 8º, Campeonato Europeu de Fórmula 3 da FIA
2017: 8º, Campeonato Europeu de Fórmula 3 da FIA
2016: 13º, Campeonato Europeu de Fórmula 3 da FIA; 6º, Toyota Racing Series
2015: 2º, Campeonato Italiano de Fórmula 4
 
Guanyu Zhou continua sua participação no programa da Academy pela terceira temporada, correndo mais uma vez no Campeonato de Fórmula 2 da FIA pela UNI-Virtuosi.
 
Zhou entrou para o programa em 2019, após passar três anos consecutivos no Campeonato Europeu de Fórmula 3 da FIA. Em sua temporada de estreia na Fórmula 2, o chinês impressionou com a premiação de ‘Top Rookie’, conquistando cinco pódios e terminando em sétimo no campeonato de pilotos. Zhou tinha potencial para conquistar um título em 2020, mas foi pego por alguns momentos infelizes, que comprometeram suas chances. Entretanto, o piloto conquistou sua primeira vitória na Fórmula 2 na Rússia, além de outros cinco pódios, consolidando sua sexta posição no campeonato. A cereja do bolo foi a participação de Zhou no teste pós-temporada 2020 da Fórmula 1em Abu Dhabi, com o Renault R.S. 20.
 
Perguntas & Respostas
 
Este é o seu terceiro ano no programa; como você se sente?
É muito bom estar na Academy pelo terceiro ano. Existe uma relação muito boa entre a equipe e eu. Acho que estamos indo bem, temos uma grande confiança mútua e temos trabalhado bem juntos nos últimos dois anos, principalmente no ano passado. Em dezembro fizemos o teste pós-temporada da Fórmula 1 em Abu Dhabi. Foi um momento muito especial para mim e me sinto honrado por continuar na equipe, que confia em mim e em minha carreira.
 
Quais são os maiores benefícios de estar na Academy?
Eu diria que ter as oportunidades com a equipe de Fórmula 1. A Fórmula 1 é o meu sonho e a minha meta. A equipe tem me dado oportunidades de testar o carro de Fórmula 1 em minha função como Piloto de Testes nas duas últimas temporadas. Foram necessários muitos dias para desenvolver o carro, incluindo no simulador. Todas essas coisas são benéficas para o meu futuro e fazem com que eu já vá me acostumando a tudo isso. Eu me sinto mais preparado do que estava há três anos, quando não tinha essas oportunidades. Isso também me ajuda na Fórmula 2, pois consigo entender muito melhor as coisas por parte dos engenheiros.
 
Você se sente especial por ter a oportunidade de dirigir o carro de Fórmula 1?
É definitivamente uma experiência incrível. Eu me lembro da primeira vez que entrei em um carro de Fórmula 1 e coloquei as mãos no volante. Tudo parecia ser um pouco complicado porque era novo para mim. Agora, não tenho que pensar sobre os comandos no volante porque já está tudo na minha cabeça. Também sei como tenho que mudar meu estilo de pilotar entre a Fórmula 2 e a Fórmula 1. A força de sustentação negativa – comparada com qualquer outra categoria – é especial. Quanto mais  quilômetros eu piloto em um carro de F1, melhor eu me sinto, pois tudo isso me ajuda a entender o carro e os engenheiros – e eles também passam a me conhecer melhor, assim como minhas preferências.
 
Quais são seus objetivos para a temporada 2021 do Campeonato de Fórmula 2 da FIA?
Em primeiro lugar, aprendi muito na temporada passada. Ficou claro como tive falta de sorte e, apesar de ter sido razoável terminar em sexto, fiquei a apenas alguns pontos atrás dos três primeiros colocados. Neste ano, o objetivo é conquistar o título. O mais importante é conseguir os pontos Superlicença, mas isso não quer dizer que não darei o máximo para vencer o campeonato. No ano passado, melhorei minha técnica e minha preparação mental. Tive que me adaptar para me recuperar da falta de sorte, mas acho que isso me fez um piloto mais forte. Neste ano, vou aproveitar minhas experiências para me preparar melhor. Espero que tudo aconteça como estou planejando, para que possamos ter uma boa temporada.
 
O que você acha do novo calendário do Campeonato de Fórmula 2 da FIA?
Temos alguns circuitos para conhecer. Gosto de novos circuitos porque eles não são novos apenas para mim, mas pra todo mundo. Tanto a equipe como o piloto terá que se adaptar aos novos circuitos e temos uma forte organização de base. O novo calendário tem três corridas a cada fim de semana, por isso é ainda mais importante terminar nos pontos e ter uma chance na corrida com o grid invertido. As qualificações serão difíceis como sempre e todos terão uma chance. Você não pode se dar ao luxo de errar, principalmente nas qualificações ou na primeira corrida, pois isso vai comprometer todo o fim de semana.
 
Como está sua preparação neste início de ano?
Estive em Shanghai e está indo tudo bem. Estou seguindo um programa que me foi definido pela equipe e pelo meu fisio. Tem várias coisas que eu posso fazer, não preciso ir à academia o tempo todo. Tenho jogado um pouco de futebol, basquete e badminton também. Este início de ano tem sido bem puxado, com testes e corridas na Fórmula 3 Asiática, por isso me sinto mais preparado do que no ano passado!

Oscar Piastri
 
FIA Fórmula 2, PREMA Racing
 
Twitter: @OscarPiastri
Instagram: oscarpiastri
 
Idade: 19
Nacionalidade: Australiano
 
2020
Vitórias: 2
Pódios: 4
Voltas mais rápidas: 4
Pontos: 164
 
Campeonatos anteriores:
2020: 1º, Campeonato de Fórmula 3 da FIA
2019: 1º, Fórmula Renault Eurocup
2018: 8º, Fórmula Renault Eurocup
2017: 2º, Fórmula 4 Britânica
 
Oscar está iniciando seu segundo ano com a Academy, como campeão júnior de categorias monoposto de ponta a ponta, tendo conquistado o título do Campeonato de Fórmula 3 da FIA no ano passado e da Fórmula Renault Eurocup em 2019.
 
Nascido em Melbourne, na Austrália, Oscar já tinha uma experiência considerável em corridas, tendo iniciado sua carreira no kart, em 2011, antes de mudar para as categorias monoposto, em 2016. Oscar terminou seu ano de estreia como vice-campeão no Campeonato Britânico de Fórmula 4 e, um ano depois, terminou em oitavo na Eurocup, com três pódios na conta, arrematando o título de 2019 com sete vitórias em 20 corridas.
 
O australiano incluiu um segundo título em seu currículo no ano passado, vencendo o Campeonato de Fórmula 3 em sua temporada como novato com a PREMA Racing, conquistando duas vitórias e quatro pódios. O piloto de 19 anos está subindo mais uma vez na hierarquia das categorias monoposto neste ano, correndo no Campeonato de Fórmula 2 da FIA pela PREMA.
 
Perguntas & Respostas
 
Como você se sentiu ao conquistar o título do Campeonato de Fórmula 3 da FIA em sua temporada de estreia?
Foi incrível vencer o Campeonato de Pilotos de Fórmula 3 em minha temporada como novato. Acho que talvez eu tenha superado um pouco minhas expectativas ao conquistar o título. Eu sabia que estava com um carro historicamente forte iniciando a temporada com a PREMA Racing, por isso defini uma meta alta para mim, começando pelo menos para desafiar meus companheiros de equipe. Eu sabia que poderia vencê-los e depois continuaria por ali até o fim do ano. Foi uma sensação incrível e quero continuar com esse ritmo neste ano.
 
Você teve algum momento especial no ano passado?
É difícil destacar um momento específico, por isso escolhi dois! O primeiro foi a corrida de abertura, na Áustria, onde venci em minha estreia na categoria; provavelmente esse foi o meu ponto alto da temporada. Eu não poderia ter iniciado a temporada de forma melhor, principalmente depois de tanto tempo longe das corridas. E o segundo momento especial para mim foi a corrida em Monza, onde subi da 15ª colocação no grid para terminar em terceiro. Provavelmente, este foi um momento divisor de águas no campeonato para mim e minha melhor corrida também.
 
Quais são seus objetivos neste início de temporada do Campeonato de Fórmula 2 da FIA com a PREMA Racing?
É bom estar novamente com a PREMA Racing e consolidar o que construímos no ano passado, mas não tenho um objetivo específico nesta temporada. Minha meta – neste ano e em qualquer outro – é desafiar meus companheiros de equipe. Vou seguir uma estratégia semelhante à do ano passado e, se pelo menos eu vencê-los, com sorte estarei próximo do pelotão de frente. Mas vamos ver, esta categoria é tão imprevisível como vimos no ano passado.
 
A sua preparação e treinamento foi diferente em relação à sua preparação para evoluir para um carro do Campeonato de Fórmula 2 da FIA?
Neste ano, o carro é obviamente um pouco mais difícil de pilotar e as corridas são mais longas, então isso será um desafio, mas, no geral, minha preparação não mudou muito. Nos últimos dois ou três anos, tenho me esforçado para estar com uma boa preparação física, por isso me preocupo em manter isso e melhorar sempre que possível.
 
Você pilotou o carro R.S.18 no ano passado e essa foi sua primeira experiência em um carro de Fórmula 1. Como você se sentiu?
Esse é o tipo de coisa que a gente nunca esquece. A lista de nomes que já pilotaram um verdadeiro carro de Fórmula 1 é muito curta, por isso sou um dos sortudos que tiveram essa chance. O carro em si era impressionante, principalmente o sistema de frenagem. Foi uma boa experiência, para aprender todos os diferentes aspectos e processos. Sem dúvida isso vai me ajudar com minha progressão e minha carreira no futuro e espero ter outras oportunidades como esta daqui pra frente.
 
O que mais você aprendeu em seu primeiro ano na Academy?
Provavelmente a coisa mais importante que aprendi foi todo o comprometimento necessário para atuar em um nível tão alto. É extremamente benéfico estar próximo à equipe e aprender com isso. Moro perto da fábrica e mesmo o fato de apenas ir à academia dentro da fábrica e falar com a equipe na maioria dos dias em que não estou correndo tem me ajudado a compreender o quanto é importante estar comprometido. Isso tem me motivado ainda mais a dar um pouco mais de mim para um dia chegar à Fórmula 1.

Caio Collet
 
Campeonato de Fórmula 3 da FIA, MP Motorsport
 
Twitter: @caio_collet
Instagram: caiocollet
 
Idade: 18
Nacionalidade: Brasileiro
 
2020
Vitórias: 5
Pódios: 7
Pole Positions: 3
Voltas mais rápidas: 4
Pontos: 304
 
Campeonatos anteriores:
2020: 2º, Fórmula Renault Eurocup
2019: 5º, Fórmula Renault Eurocup
2018: 1º, Fórmula 4 Francesa
 
Caio inicia sua terceira temporada com a Academy após mais uma forte campanha no ano passado, quando o brasileiro terminou com o título de vice-campeão na Fórmula Renault Eurocup, após cinco vitórias e sete pódios.
 
Caio entrou para a Academy na pré-temporada 2019, como parte de seu prêmio por ter conquistado o título da temporada 2018 da Fórmula 4 Francesa. Natural de São Paulo, Caio iniciou sua carreira no Brasil em 2009, nas corridas de kart. Em 2015, mudou-se para a Europa, onde foi coroado Novato do Ano pela CIK-FIA.
 
Sua primeira oportunidade nas categorias monoposto foi em janeiro de 2018, no Campeonato dos Emirados Árabes de Fórmula 4, antes de sua trajetória de sucesso rumo ao título na Fórmula 4 Francesa. Caio avançou para a Eurocup em 2019, terminando em 5º naquele ano. No ano passado, terminou em segundo, em uma batalha acirrada pelo título com Victor Martins.
 
Neste ano, Caio vai correr pela MP Motorsport em sua primeira temporada no Campeonato de Fórmula 3 da FIA.
 
Perguntas & Respostas
 
Você está feliz por entrar para o terceiro ano com a Academy, em 2021?
Estou muito feliz ao continuar na Alpine Academy por mais um ano, e agradecido por todas as oportunidades e tudo o que a equipe tem feito por mim até agora. Eu progredi muito como piloto nos dois anos em que estive na Academy e estou muito animado para ver o que podemos fazer neste início do meu terceiro ano.
 
Você teve um ano incrível e terminou como vice-campeão na Fórmula Renault Eurocup. Qual foi seu maior aprendizado no ano passado?
Tivemos alguns resultados consistentes no ano passado, em um ano que desafiou a todos. No final das contas, não foi exatamente o que desejávamos, perdendo o título do campeonato. Aprendi muito com esta experiência. Tivemos algumas corridas muito fortes, consegui algumas vitórias e pódios. Mas o principal aprendizado do ano passado é que é importante nunca desistir e isso é algo que vou levar comigo tanto neste ano como depois.
 
Como você se sente a respeito de sua estreia no Campeonato de Fórmula 3 da FIA?
Estou realmente animado com esta temporada na MP Motorsport. O Campeonato de Fórmula 3 faz parte do fim de semana da Fórmula 1 e isso naturalmente atrai mais visibilidade, por isso é importante dar o máximo de si a cada fim de semana. Esta categoria também vai ser bastante competitiva, com alguns dos melhores jovens pilotos do mundo, por isso vai ser uma grande briga, do início ao fim. Como sempre, a meta será vencer o campeonato.
 
Como está a sua preparação neste início de temporada?
A minha preparação está indo muito bem neste início de temporada. Estamos atualmente nos preparando em um training camp para o início da campanha. Fazemos isso todos os anos na Academy, antes do início da temporada, mas é importante estar na melhor forma física e mental no início do ano. Estou ansioso pelo início disso tudo e para estar com as mãos no volante novamente.
 
Você está fazendo alguma coisa diferente para evoluir para uma máquina um pouco mais potente?
Além de todo o treinamento e preparação física, intensifiquei os exercícios para o pescoço, tendo em vista que vou usar um carro mais rápido neste ano. Também estou me dedicando mais à preparação mental para esta temporada. Vimos no ano passado que tudo pode acontecer em uma temporada e você precisa ter condições de lidar com vários desafios pelo caminho, não apenas física, mas mentalmente também.
 
Victor Martins
 
Campeonato de Fórmula 3 da FIA, MP Motorsport
 
Instagram: victormartinsfr
 
Idade: 19
Nacionalidade: Francês
 
2020
Vitórias: 7
Pódios: 7
Pole Positions: 10
Voltas mais rápidas: 8
Pontos: 348
 
Campeonatos anteriores:
2020: 1º (Campeão), Fórmula Renault Eurocup
2019: 2º, Fórmula Renault Eurocup
2018: 5º (3º Novato), Fórmula Renault Eurocup
2017: 2º (1º Novato), Fórmula 4 Francesa
 
Victor Martins está voltando para a Academy, após uma parada de um ano em 2020, durante o qual o piloto conquistou o título da Fórmula Renault Eurocup. Em 2021, Victor vai correr no Campeonato de Fórmula 3 da FIA pela MP Motorsport.
 
Victor esteve no programa entre 2018 e 2019, após ter chamado a atenção durante sua campanha na Fórmula 4 Francesa em 2017, como jovem novato. Sua velocidade bruta o levou ao quinto lugar em seu primeiro Campeonato Eurocup, antes de perder o título por pouco para Oscar Piastri, um ano depois. O francês aspirou à conquista do título Eurocup em 2020, com a ART Grand Prix, o que ele conseguiu após sete vitórias e sete pódios na temporada de 20 corridas, garantindo seu retorno ao programa.
 
Perguntas & Respostas
 
Como você se sente voltando para o programa?
É muito bacana voltar porque não foi fácil deixar a Academy em 2020. Isso significa que eu não pude receber a orientação de todas as pessoas na Academy, não tive acesso ao simulador, ajuda no treinamento e preparação física, e não estava vestindo as cores da Renault quando estava pilotando. Foi difícil aceitar isso, mas estou feliz por ter conseguido seguir em frente e trabalhar duro para voltar à Academy em 2021. Sei que fiz um bom trabalho em 2020, consegui voltar e ter acesso a essas coisas importantes novamente. Tive que aceitar nos anos anteriores que você precisa seguir em frente e continuar fazendo o seu trabalho. A partir do que aprendi na Academy em 2018 e 2019, sabia que teria que entregar bons resultados e continuar assim até o final da temporada. Consegui avançar e dar aquele passo final para conquistar o título.
 
Você está ansioso para iniciar o Campeonato de Fórmula 3 da FIA?
Não vejo a hora de começar, pois tive que esperar muito para correr na Fórmula 3. Este é o próximo passo nas categorias júnior, por isso estou ansioso para iniciar a temporada. A coisa mais importante para mim é curtir a temporada porque tenho que ter em mente que sou um novato, um iniciante. Haverá muita pressão e quero usar a experiência de todos em minha nova equipe. Eu já os conhecia desde quando corri pela MP Motorsport em 2019. Mesmo que não sejam os mesmos engenheiros ou mecânicos, quero criar um ambiente positivo em meu entorno e trabalhar o máximo possível com todos ao meu redor, como na Academy, minha equipe e minha família. Vai ser bom correr nos fins de semana da Fórmula 1. Você vê os carros de perto e isso é muito legal, faz com que o seu principal objetivo pareça mais próximo. Quando estamos no nosso paddock, a Fórmula 1 está a apenas alguns metros de distância e eles nos observam também. Essa é uma oportunidade para me rodear de pessoas importantes e inspiradoras como toda a equipe de F1, com quem posso trocar ideias produtivas.
 
O que você acha do calendário do Campeonato de Fórmula 3 da FIA?
Está bem interessante, com sete rodadas e três corridas por fim de semana. Vai ser importante se recuperar rapidamente se algo não der certo. Teremos tempo para fazer análises entre rodadas e é muito bom estar na área. Acho que fazer três corridas por fim de semana será um desafio e não acho que será tão importante estar na pole position para ter um bom fim de semana como um todo. É sempre bom ter pole positions para que as pessoas vejam o seu ritmo nas qualificações, mas será ainda mais importante manter a regularidade em todas as três corridas e acumular muitos pontos.
 
Como você está se preparando para este novo desafio?
Estou totalmente comprometido com isso! Vou continuar com minha preparação até o início da temporada e os testes pré-temporada. Fiz algumas mudanças em meu plano de treino, incluindo mais atividades de endurance, como bicicleta e corrida. Estou fazendo mais treinos cardiorrespiratórios e para o pescoço, para me preparar para as curvas e a força g. Isso não é fácil nas atuais circunstâncias, mas posso fazer meus treinos em um centro de treinamento em Paris, por isso estou trabalhando duro com eles. Gosto de ir à academia e gosto de qualquer tipo de esporte, por isso curto bastante esta época do ano!
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *