F1: Argentina negocia para voltar a receber Fórmula 1 em 2019

A Argentina quer voltar a receber uma corrida de Fórmula 1 em 2019. O país, que tem o pentacampeão mundial Juan Manuel Fangio entre os maiores da história, está em negociações com a Liberty Media, dona da categoria, por meio da promotora de eventos esportivos e de entretenimento Fenix Entertainment. As informações são do jornal britânico The Independent.

De acordo com a publicação, a intenção é levar a Fórmula 1 mais uma vez ao autódromo Juan y Oscar Gálvez, no sul da capital Buenos Aires. O circuito recebeu o GP da Argentina pela primeira vez em 1953 e, depois, por vários anos de forma intermitente. A última prova foi em 1998, com vitória do alemão Michael Schumacher. Emerson Fittipaldi (1973 e 1975) e Nelson Piquet (1981) foram os únicos brasileiros a vencer a corrida.

“O governo da cidade de Buenos Aires comprometeu-se a financiar os trabalhos necessários para obter uma atualização adicional do circuito, de acordo com os padrões da Fórmula 1 e da FIA. Os trabalhos para reparar e melhorar o circuito começarão assim que assinarmos o acordo para manter a corrida em Buenos Aires por um período de cinco anos”, declarou Arturo Rubinstein, presidente da empresa de investimentos Blue Capital, dona da Fenix Entertainment.

As conversas sobre uma possível prova na Argentina ocorrem desde 2013, ainda na gestão de Bernie Ecclestone, mas, à época, a situação econômica e política do país não eram propícias para um investimento desse porte. O valor estimado para que o autódromo atenda às exigências da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) é de 30 milhões de dólares. Estima-se que as obras possam ser concluídas seis meses após o início.

“Nós discutimos o projeto com os governos nacional e da cidade de Buenos Aires. O atual presidente da Argentina, Mauricio Macri, tem uma formação esportiva, tendo sido presidente do Boca Juniors por dez anos durante o período mais bem-sucedido da história do clube. Deve-se ter em mente que ele é o ex-prefeito da cidade de Buenos Aires e, como tal, realmente conversamos com ele sobre esse projeto desde o final de 2013”, revelou Rubinstein.

A ideia inicial é que a prova seja realizada no início do calendário, o que sempre foi tradição do GP da Argentina. No entanto, não está descartada a ideia de ser no final, antes ou depois do GP do Brasil.

Desde que assumiu o comando da Fórmula 1 no final de 2016, a Liberty Media tem mantido conversas com diversos países na tentativa de expandir a categoria a mercados nunca antes explorados ou deixados de lado há bastante tempo. Para 2018, as novidades serão os retornos dos velhos conhecidos GPs da França e da Alemanha. Em 2019, além da Argentina, novidades como Dinamarca e Vietnã podem surgir no calendário.

Fonte: Máquina do Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *