ChampCar: Bruno Junqueira assina com a Dale Coyne para a temporada 2007

Três vice-campeonatos, nove poles e oito vitórias. O que já é um currículo de respeito em uma das mais fortes e destacadas categorias do automobilismo internacional pode ganhar novos números em 2007.

O mineiro Bruno Junqueira (Telemont/Brasil Telecomunicações), depois de uma longa negociação, acertou contrato com a Dale Coyne Racing e será um dos pilotos do time de Plainfield (Illinois) no campeonato da ChampCar, com largada prevista para domingo, em um inédito circuito nas ruas de Las Vegas. Com 30 anos e dono dos títulos sul-americano de Fórmula 3, em 1997, e Intercontinental de Fórmula 3000, em 2000, Bruno dá a partida para sua sétima temporada na série norte-americana, disposto a repetir o bom desempenho dos testes de pré-temporada quando, mesmo andando menos que boa parte dos adversários, esteve sempre entre os mais rápidos.

Agora integrante de um dos times mais simpáticos da ChampCar, pelo qual já passaram, entre outros, Cristiano da Matta, Roberto Moreno, Tarso Marques e Gualter Salles, Bruno tem em sua experiência um fator que pode fazer a diferença, já que a categoria vive um momento de renovação. Depois de bons e leais serviços acima dos 300 km/h, o chassis Lola dá lugar ao Panoz DP01 que, além de uma configuração aerodinâmica revista, para favorecer as ultrapassagens, deve gerar custos de manutenção mais baixos para as equipes e tem, como diferencial, a adoção do câmbio seqüencial no volante, em lugar da alavanca no lado direito do cockpit. Por se tratar de uma novidade para todos, especialmente em termos de acerto, todo o conhecimento acumulado pelo piloto de Belo Horizonte nos carros da Ganassi e da Newman-Haas pode ajudá-lo a brigar por pódios e pela primeira vitória da Coyne.

“Estou muito contente com a oportunidade de disputar minha sétima temporada na ChampCar, e imensamente entusiasmado com a parceria que firmamos junto à Dale Coyne. Desde do primeiro treino da temporada temos sido bastante competitivos, e acredito que possamos esperar resultados surpreendentes. A temporada inicia com um novo carro, numa nova pista, e para mim uma nova equipe”, diz, Bruno, bastante animado.

O novo carro não é a única diferença da temporada em relação às anteriores. O campeonato conta com novas equipes, como a Pacific Coast, nomes tradicionais do cenário mundial, como a Minardi (o empresário Paul Stoddart comprou a CTE-HVM e deu a ela o nome da equipe que possuía na Fórmula 1) e uma verdadeira revolução no calendário. Este ano não haverá corridas em circuitos ovais e inúmeras pistas farão sua estréia na competição. A começar por Las Vegas – um traçado de 3.920m nas ruas da capital mundial do jogo. Entre as 16 etapas, destaques para a volta da categoria à Ásia, em 20 de maio, no circuito chinês de Zhuhai; e à Europa, com uma rodada dupla (dia 2 de setembro, em Assen, na Holanda, e uma semana depois, em Zolder, na Bélgica), além de uma prova nas ruas de Phoenix (que já recebeu a Fórmula 1, nos anos 90), e de uma parada no lendário circuito canadense de Mont Tremblant.

Do ponto de vista do regulamento, permanecem os motores Cosworth V8 Turbo, com 2.650cc e cerca de 750 cavalos de potência. Será mantido ainda o dispositivo “push-to-pass”, que dá, a cada piloto, potência extra por um tempo restrito, para ser usado nas largadas e tentativas de ultrapassagens. Outro ponto inalterado, e que constitui um dos diferenciais da categoria, é a adoção dos pneus extra-macios Bridgestone com as laterais pintadas em vermelho, para facilitar a visualização pelo espectador, tanto no circuito quanto pela TV. Além de Bruno, são destaques entre os pilotos confirmados para a prova de abertura o tricampeão Sebastien Bourdais (Newman/Haas/Lanigan), o campeão de 2003 Paul Tracy (Forsythe), Justin Wilson (Rsports) e o holandês Robert Doornboos (Minardi), ex-piloto da Red Bull no Mundial de Fórmula 1.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *