ChampCar: Bruno Junqueira conquista mais um pódio

Largar em 11º, ser atingido logo na primeira volta, com direito a um pneu furado, enfrentar problemas em uma parada para reabastecimento. Um piloto que enfrenta tantas dificuldades teria tudo para esquecer o domingo. Não foi o caso do mineiro Bruno Junqueira (Brasil Telecomunicações/Telemont) no GP da Holanda, 12ª etapa da temporada da ChampCar, no circuito de Assen. Mesmo depois de passar por tudo isso e, repetindo a combinação de talento e estratégia que valeu o melhor resultado da história da Dale Coyne Racing em Zolder (Bélgica) – a segunda posição, o representante brasileiro na categoria levou mais uma vez o Panoz/Cosworth de número 19 ao pódio. Terceiro depois de mais uma prova fantástica, Bruno retorna aos EUA com ótimos motivos para não esquecer da fase européia do campeonato. A vitória ficou com o inglês Justin Wilson (Rsports) o que, somado ao sétimo lugar do francês Sebastien Bourdais (Newman-Haas-Lanigan) adiou a definição do título.

Partindo da sexta fila devido às dificuldades na qualificação, Bruno sabia que poderia ter sustos na largada, e assim aconteceu. Na terceira curva, algo que se tornou uma constante nos últimos anos: um toque do canadense Paul Tracy (Forsythe) na curva 3. O que inicialmente parecia não ter trazido conseqüências virou pesadelo na sétima passagem, quando o mineiro constatou ter um pneu furado, sendo obrigado a antecipar o primeiro pitstop. Na volta à pista, uma diferença de 1 minuto e 12 segundos para o líder, o que parecia comprometer qualquer chance.


Foi quando o jogo começou a virar, por méritos do piloto, da equipe, e com a ajuda das circunstâncias de corrida. Na 13ª volta, uma bandeira amarela levou todos os pilotos aos boxes. Único a seguir na pista, Bruno saltou para a liderança e começou a registrar voltas rápidas para abrir vantagem, que chegou a 10seg. Logo depois de parar novamente, na 28ª volta, outra neutralização. Ao contrário das voltas anteriores, em que teve de economizar combustível, Bruno recebeu da equipe sinal verde para acelerar, o que fez com perfeição.


A idéia era novamente ganhar terreno em relação aos principais perseguidores para, no terceiro e decisivo pitstop, manter a ponta. Foi quando o limitador de velocidade do carro quase pôs tudo a perder. Em vez de manter a velocidade máxima no pitlane a 70 milhas por hora, a reduziu para 40 milhas. Os cerca de seis segundos perdidos derrubaram o mineiro para o quarto posto, mas ainda não era hora de jogar a toalha. Com uma bela ultrapassagem sobre o francês Tristan Gommendy (PKV Racing), ele garantiu, pela segunda prova consecutiva, um posto entre os três primeiros – foi o piloto que mais somou pontos nos GPs europeus da categoria.


Ao descer do carro, muita festa, novamente regada a champanhe: “Estou muito contente com o nosso desempenho hoje, tivemos um carro competitivo, bons pitstops e sorte. Infelizmente o problema no sistema do limitador de velocidade nos custou a vitória, mas um terceiro lugar, largando de 11º foi sim uma grande vitória, e junto com o resultado da etapa belga, fez desse tour europeu um grande sucesso. Volto para os EUA vitorioso com o que alcançamos e com a esperanca de conquistar ainda outros pódios nas duas etapas que restam na temporada.” Bruno já aparece em nono na classificação e sabe que, depois da parada no calendário – o próximo GP, em Surfers Paradise (Austrália), ocorre em 21 de outubro –, tem tudo para terminar o ano com vitória e ainda mira a quinta posição final no ano. “Ganhamos uma posição no campeonato, e acredito ter me assegurado entre os top 10, mas quero mais, e estando agora tão perto de conquistar mais posições, vou buscar meus melhores resultados na Austrália e no México”.


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *