ChampCar: Junqueira quer usar a sua experiência em Cleveland

Amplas áreas de escape, quase nenhuma referência, uma pista com largura suficiente para permitir várias trajetórias, mas que costuma punir quem se afasta muito da linha ideal. O palco do GP de Cleveland, quinta etapa da F-Mundial, com largada às 14h (de Brasília) não é um traçado como os outros. O circuito de 3.388m desenhado no Burke Lakefront Airport destoa dos demais e por vezes surpreende quem aposta na precipitação. Com a experiência de quem subiu ao pódio em suas três últimas participações – foi segundo em 2006 e 2004 (não correu em 2005, já que ainda se recuperava do acidente nas 500 Milhas de Indianápolis); e terceiro em 2003, o mineiro Bruno Junqueira (Telemont/Brasil Telecomunicações) espera superar os sustos que costumam marcar a corrida para ganhar posições e manter a boa posição no campeonato. Prejudicado por uma bandeira vermelha nos minutos finais do treino oficial, quando apostava nos pneus Bridgestone extra-macios (os reds), ele larga em 14º. A pole foi confirmada pelo francês Sebastien Bourdais (Newman/Haas/Lanigan), com 56seg363.


Um dos mais rápidos nos treinos livres de sexta-feira, Junqueira ganhou a pista para a definição do grid com 11 minutos da sessão qualificatória. Em sua sexta volta cronometrada, conseguiu baixar em um décimo o tempo da véspera, registrando 57seg758, como boa parte dos adversários, sofrendo com o tráfego. Com sete minutos para o encerramento, o único representante brasileiro na categoria voltou à pista consciente de que uma melhora de quatro décimos de segundo o deixaria entre os 10 primeiros. O que era uma boa possibilidade acabou escapando com o problema do belga Jan Heylen (Conquest), que provocou a interrupção do treino, deixando pouco mais de dois minutos para a volta à pista e uma última tentativa.


O fato de partir na sétima fila não desanima o piloto da Dale Coyne Racing que, além das boas chances de conquistar posições na pista, tem a perspectiva de uma estratégia diferente de paradas nos boxes e sabe que pode avançar com os erros dos adversários, bastante comuns nessa pista. Um dos momentos aguardados com expectativa pelos pilotos é a largada que, pela primeira vez em Cleveland, será feita com os carros parados. Todos os anos, a freada para a primeira curva é marcada por rodadas, acidentes, e alguns carros são obrigados a um longo passeio pela grama para escapar da confusão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *