Charlie Whiting afirma que Zandvoort tem potencial para receber corrida da Fórmula 1

Desde que Max Verstappen venceu o GP da Espanha de 2016, logo em sua estreia pela Red Bull, muito tem se especulado sobre a volta da Holanda, país natal do piloto, ao calendário da Fórmula 1. É fato que Verstappen tem uma enormidade de fãs dedicados, que viajam pela Europa, enfeitando as arquibancadas com a cor laranja. Então, por que não um GP dentro da própria Holanda? Charlie Whiting, diretor de provas da categoria, acha que isso pode acontecer.

“Eu acho que há um grande potencial em Zandvoort. Algumas coisas precisam ser mudadas lá, e há uma grande disposição para mudar, mas eu acho que é cedo demais para falar sobre isso. Eles estão voltando para nós com algumas propostas, e vamos ver puramente do ponto de vista do circuito – nada a ver com os elementos comerciais do mesmo – mas do ponto de vista da segurança do circuito eu acho que poderia ser feito. Haveria uma boa reta longa o suficiente para usar bem o DRS, e você também manteria os elementos históricos do circuito”, comentou.

A última vez que a Holanda recebeu um GP de Fórmula 1 foi em 1985, na própria pista de Zandvoort, com vitória de austríaco Niki Lauda. Recentemente, o circuito de Assen, onde é realizada a etapa holandesa do Mundial de Motovelocidade, também foi cogitado como uma possibilidade. Para Whiting, porém, Zandvoort precisaria apenas de uma reforma mínima para ter a categoria máxima do automobilismo de volta.

“A quantidade de trabalho é relativamente mínima. Fui olhar (Zandvoort) do ponto de vista da segurança. Poderia a pista ser modificada para lidar com os modernos carros de Fórmula 1? Isso é tudo. Agora, quão grandes são os paddocks, o acesso, onde você vai colocar os espectadores não é algo em que eu me envolveria normalmente”, finalizou.

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *