Copa Clio: Robson Vieira projeta boa temporada pela Bolívar Motorsport

Único piloto do Nordeste a disputar o Campeonato Brasileiro da categoria, pernambucano aprovou os novos motores de dois litros adotados neste ano.

Reunindo pilotos das regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste do país, o sétimo campeonato da Copa Renault Clio começou no último fim de semana, em Curitiba, cumprindo a promessa de iniciar a temporada com grid cheio e muita competitividade. Estreando os novos motores Renault F4R 2.0, a categoria reuniu 24 competidores no Autódromo de Pinhais, localizado na região metropolitana da capital paranaense, e abriu o calendário com a vitória do piloto da casa José Cordova.

A etapa marcou, também, a estréia de novos nomes na categoria, entre eles o goiano Giuseppe Vecci e o pernambucano Robson Vieira (Agente Corretora), que havia disputado apenas uma corrida pela categoria em 2003, e será piloto da equipe Bolivar Motorsport nesta temporada. Vieira começou seu primeiro campeonato completo na Copa Clio com o pé direito, e fechou a etapa paranaense conquistando seus primeiros pontos no campeonato. Largando em 12º, ele completou a prova em nono lugar e cumpriu o objetivo de encerrar a disputa entre os dez primeiros colocados.

“Foi um bom começo principalmente porque essa corrida representou meu retorno às pistas depois de mais de dois anos parado, sem correr de nada”, lembrou o piloto, natural da cidade de Santa Cruz do Capibaribe (PE). “Estava afastado das pistas desde a conquista do vice-campeonato paulista de Marcas e Pilotos, e é ótimo estar de volta. A Copa Clio está bastante competitiva, e já na primeira prova do ano pudemos perceber que o carro está mais gostoso de guiar com o novo motor dois litros”, acrescentou o pernambucano.

Embora tenha disputado apenas uma corrida na antiga Copa Clio com motores de 1.600 cilindradas, Robson Vieira se recordava do comportamento do carro no traçado paranaense, e aprovou sem ressalvas a mudança para o novo propulsor.

“Por coincidência, minha única corrida na Copa Clio havia sido disputada em Curitiba, e por isso tive referências suficientes para analisar o novo motor”, lembrou o piloto. “Nas retomadas de velocidade o comportamento do carro mudou da água para o vinho, e exigiu um pouco mais de atenção dos pilotos. Agora os pneus se desgastam mais rapidamente por causa da maior potência, e é preciso adequar a pilotagem para manter um ritmo constante até o final da prova”, acrescentou Vieira.

Campeão Norte-Nordeste da extinta Copa Corsa, Robson Vieira estreou nas pistas em 1995 e tem no currículo, também, os títulos de vice-campeão paulista da Copa Corsa Metrocar, e de vice-campeão paulista de Marcas e Pilotos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *