Copa Fiat: Bragantini sobra e vira líder em Interlagos

Novo ponteiro sai na pole, faz melhor volta, vence de ponta a ponta e agradece a Massa

Os adversários só viram André Bragantini no grid. Depois da largada, o pole da 7ª etapa escapou na frente, estabeleceu a melhor volta, liderou do início ao fim e assumiu a ponta da classificação geral da Copa Fiat na manhã deste domingo em Interlagos. Além de ganhar pela segunda vez na temporada, o piloto da Pater Racing ainda contou com o abandono de Christian Fittipaldi e o terceiro lugar de Cacá Bueno, que chegaram a São Paulo nas primeiras posições da tabela. O paranaense Cesinha Bonilha completou o pódio com o segundo lugar.

Foi uma vitória tranquila de Bragantini, que mantém um antigo caso de amor com os 4.314 metros do circuito paulistano. “Meu carro esteve muito bom desde os treinos. Mas devo muito ao Felipe Massa, que treinou no sábado pela nossa equipe e foi muito útil com sua experiência”, explicou o paulista radicado em Curitiba. “A pole me permitiu fugir das disputas, abrir uma folga e administrar a corrida na parte final”, afirmou Bragantini, que espera ter muito trabalho para manter a escassa vantagem de dois pontos sobre Cacá na segunda bateria. “Ele é o melhor piloto do Brasil. Para continuar liderando, vou ter de passar por ele, o que nunca é fácil”, lembrou.

Bonilha, que completou a primeira fila com o carro decorado com as cores e a cruz de malta do Vasco da Gama, não conseguiu acompanhar o ritmo de Bragantini, mas ao menos não permitiu qualquer ataque de Cacá ao longo das 14 voltas. “Até que forcei no começo, mas os pneus foram acabando e tive de me concentrar em evitar a aproximação do Cacá”, explicou. Cacá fez uma prova discreta e terminou na mesma posição em que partiu. “O chão do carro vinha sofrendo desde os treinos, porque teve de ser reconstruído depois do acidente em Curitiba, mas até que estava melhor na corrida. Em mais uma etapa o carro estará competitivo como era antes. Aqui em Interlagos, André Bragantini andando com um carro de tração dianteira é impossível de segurar”, admitiu.

O maior prejuízo caiu na conta de Christian. Ele saiu em 5º e ganhou a posição de Victor Guerin, mas os dois se chocariam mais tarde na Curva do Pinheirinho – Guerin foi punido com passagem pelos boxes – e desistiriam em seguida com os carros danificados. Foi apenas o prosseguimento de um fim de semana que não começou bem desde os ensaios livres. “O carro não tem velocidade aqui em Interlagos. Largar em quinto já foi lucro”, afirmou, antevendo uma segunda bateria complicada, já que partirá das últimas filas. Pelo sistema de grid invertido utilizado pela categoria, Bragantini largará em 8º e o carioca Ulisses Silva será o pole. A prova começará às 13h20.

O resultado da prova:

1º André Bragantini, 14 voltas em 28:27.460
2º Cesinha Bonilha, a 3.658
3º Cacá Bueno, a 4.363
4º Giuliano Losacco, a 15.438
5º Wellington Justino, a 28.729
6º Clemente Faria Jr., a 29.712
7º Leonardo Nienkotter, a 29.745
8º Ulisses Silva, a 30.075
9º Fernando Nienkotter, a 31.995
10º Luir Miranda, a 42.218
11º Carlos Eduardo, a 46.147
12º Betinho Sartório, a 48.487
13º Mauri Zaccarelli, a 57.618
14º Rogério Castro, a 59.643
15º José Vitte, a 1 volta

Não completaram
Victor Guerin, a 4 voltas
Christian Fittipaldi, a 6 voltas
Popó Bueno, a 13 voltas

A nova classificação do campeonato

1º André Bragantini, 83 pontos
2º Cacá Bueno, 81
3º Christian Fittipaldi, 71
4º Giuliano Losacco, 46
5º Cesinha Bonilha, 38
6º Ulisses Silva, 34
7º Wellington Justino, 32
8º Popó Bueno, 24
9º Leonardo Nienkotter, 20
10º Edson do Valle, 16
11º Luir Miranda, 13
12º Allam Khodair e Clemente Faria Jr, 6
14º Mauri Zaccarelli e Fernando Nienkotter, 5
16º Rogério Castro e Betinho Sartório, 4
18º Antonio Jorge Neto e José Vitte, 3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *