Copa Fiat: Bragantino é o rei da pole em Interlagos

Piloto da Pater Racing sai na frente pela 4ª vez seguida “em casa”; Massa domina treinos livres

Não tem pra ninguém. Confirmando a fama de rei da pole em Interlagos, André Bragantini dominou a sessão classificatória da quarta etapa e largará na frente da primeira bateria da rodada dupla da Copa Fiat neste domingo no autódromo paulistano. Paulista radicado em Curitiba desde 2004, Bragantini manteve a invencibilidade no qualifying da série de turismo do Racing Festival em São Paulo, onde largou na frente nas três passagens anteriores da categoria. A primeira fila será completada pelo paranaense Cesinha Bonilha, que liderou boa parte da tomada de tempos.

A marca estabelecida por Bragantini – 1min51s332 – é o novo recorde da Copa Fiat em Interlagos e superou por menos de um décimo o tempo cronometrado nos treinos livres da manhã por Felipe Massa, convidado especial da organização. O piloto da Ferrari, no entanto, limitou sua participação aos ensaios. Terceiro colocado no campeonato, Bragantini tem tudo para botar fogo no campeonato na abertura da segunda metade da temporada. Além de ser um profundo conhecedor dos segredos do circuito, Bragantini superou os pilotos que comandam a classificação geral – o líder Christian Fittipaldi sairá em 5º e o segundo colocado Cacá Bueno partirá em 3º. A diferença Christian para Bragantini é de apenas oito pontos.

Depois da festa nos boxes da Pater Racing, Bragantini admitiu que a pole não foi surpresa. “Esta é a pista que mais gosto, onde mais me sinto em casa. Treinei muito aqui desde o início da minha carreira, até mesmo em dias de chuva, quando meu pai me chamava para vir ao autódromo. O carro esteve muito bom desde o primeiro treino e eu sabia que bastaria encaixar a volta e não cometer erros que o tempo viria naturalmente”, comentou Bragantini, ainda motivado pela vitória – a primeira na temporada – na recente etapa de Curitiba.

Os rivais sabem que terão uma tarefa complicada pela frente. Além da boa fase e familiaridade com a pista, Bragantini ganhou uma das corridas de 2011 em Interlagos. Bonilha foi quem chegou mais perto de interromper a soberania do adversário, mas assistiu resignado de dentro dos boxes à mudança na cronometragem que o derrubou para a segunda colocação. “Errei na minha primeira volta. Travei tudo na freada do lago e dei uma traseirada”, explicou. Com humildade, depois de caminhar na direção de Bragantini para cumprimentá-lo com um abraço, admitiu que nem mesmo uma volta perfeita seria suficiente para mantê-lo na P1. “Acho que chegaria bem perto”, comentou, depois de conferir a desvantagem de quase quatro décimos.

Num sábado em que Felipe Massa roubou as atenções ao comandar os dois treinos livres, outra nota positiva foi o 4º lugar no grid de Victor Guerin, que corre na Fórmula GP2 e até então havia apenas disputado as provas de encerramento do calendário do ano passado no Velopark. Contando com a orientação de companheiros bem mais experientes, como Bragantini e Giuliano Losacco, o paulista de 20 anos mostrou ao que veio. “Eu estava pilotando no estilo Guerin, bem agressivo. Quando ouvi os toques que eles me deram, principalmente nas freadas, parecia outro carro”, analisou, sem esconder a alegria por superar astros como Christian e Losacco, 6º colocado.

Massa usou a passagem do evento que ajudou a criar para desenferrujar em meio ao período regimental de férias da Fórmula 1. Curtiu a experiência e elogiou as modificações introduzidas no Linea para esta temporada. “O trabalho foi muito bem feito. O carro está sensacional, mais no chão e fácil de pilotar. Ajudou bastante no meu caso, que corro de Fórmula com um carro completamente diferente, mas que é uma diversão gigante”, afirmou.

A largada da primeira bateria está marcada para as 10h10, com 25 minutos de duração e mais umas volta. A segunda, na mesma distância, será cumprida a partir das 13h25, com inversão dos oito primeiros do grid em relação à ordem de chegada da primeira. Ao final da segunda corrida haverá sorteio de um Uno Vivace 0K entre os torcedores.

O resultado do qualifying:

1º André Bragantini, 1:51.332
2º Cesinha Bonilha, 1:51.706
3º Cacá Bueno, 1:51.731
4º Victor Guerin, 1:52.259
5º Christian Fittipaldi, 1:52.269
6º Giuliano Losacco, 1:52.458
7º Leonardo Nienkotter, 1:52.663
8º Popó Bueno, 1:52.754
9º Wellington Justino, 1:52.768
10º Clemente Faria Jr., 1:52.878
11º Ulisses Silva, 1:52.896
12º José Vitte, 1:52.998
13º Rogério Castro, 1:53.545
14º Fernando Nienkotter, 1:53.929
15º Mauri Zaccarelli, 1:54.227
16º Luir Miranda, 1:54.367
17º Betinho Sartório, 1:54.536
18º Carlos Eduardo, sem tempo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *