Copa Fiat: Guerin é mais uma novidade em Interlagos

Piloto da Fórmula GP2 corre novamente como convidado da Pater Racing

Se não é um “dream team”, é algo muito próximo. Depois de acertar a presença de Felipe Massa nos treinos livres, a Pater Racing fechou a participação de Victor Guerin na quarta rodada da Copa Fiat. O piloto da Fórmula GP2 será o convidado especial da equipe comandada por Luís Otávio Paternostro na etapa de Interlagos, marcada para os próximos dias 18 e 19, e correrá ao lado da dupla oficial formada por André Bragantini e Giuliano Losacco.

Com apenas 20 anos e passagem bem-sucedida pela Fórmula 3 italiana e Auto GP, categoria em que correu parte da temporada antes da transferência para a GP2, Guerin está de certa forma retornando à Copa Fiat. Ele disputou as provas de encerramento do calendário de 2011 no Velopark (Rio Grande do Sul), na primeira passagem pela Pater Racing. “Naquela época, era tudo novo. Eu nunca havia dirigido um carro de tração dianteira e nem conhecia o traçado. Em Interlagos, uma pista que não é novidade para mim e já com a mão do Linea, a tendência é que as coisas saiam melhor”, lembrou Guerin.

A presença de Guerin na Copa Fiat durante o período de férias da GP2 vinha sendo costurada há tempos. O piloto da Ocean Racing Technology na divisão de base da Fórmula 1 acredita que esse será outro fator que jogará a seu favor em São Paulo. “Quando corri no Velopark, foi tudo muito em cima da hora. O carro que usei estava parado há vários meses. Desta vez, como a gente já vinha conversando sobre a possibilidade de correr outra vez, ele passou por uma revisão completa. Também vou poder visitar a equipe, conversar com o pessoal e fazer os ajustes necessários, como a posição do banco, o que não foi possível daquela vez.”

Guerin disse ainda que a adaptação da GP2 para a Copa Fiat tende a ser mais tranquila do que no ano passado, quando acabara de deixar a Fórmula 3. “Claro que a velocidade e a freada são muito diferentes da GP2 e no Linea, mas o jeito de pilotar dessas duas categorias têm mais a ver do que com a Fórmula 3”, comparou Guerin. Ele destacou o trabalho do diretor-técnico Maurício Ferreira. “Os carros são muito bons. Não é à toa que o André ganhou a prova mais recente em Curitiba”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *