Dakar: Pichini e Roldan ganham posições em etapa cheia de abismos e pista rápida

Com características parecidas com as etapas do Rally dos Sertões, Dakar conclui sua oitava etapa e prepara-se para a entrada no deserto do Atacama.

Um dia limpo. Sem sustos, sem problemas, sem sufocos. Enfim, a dupla brasileira Paulo Pichini/Lourival Roldan conseguiu fazer um dia de prova fluir e colheram seus frutos. Na manhã de hoje, eles largaram na 106º posição e fecharam a etapa entre Valparaiso e La Serena, com  652 km totais, dos quais 294 de trecho cronometrado, em 67º lugar. Na pista, piso duro com cascalho, curvas constantes e inúmeros abismos.

“Hoje o dia fluiu, e digo mais, para andar beirando abismos e acelerando em curvas e piso escorregadio é preciso estar com o carro na mão e confiar muito em seu navegador. Ganhamos posições, ultrapassamos conscientes de que o perigo era parte do jogo porque o trecho era estreito e travado. Mesmo assim, foi uma prova rápida, e deliciosa de pilotar. Porém, acredito que esse dia rápido e de piso duro funcionou como uma volta ao ritmo de prova depois da parada de descanso. Digo isso porque os próximos 3 dias são considerados pela organização com os mais difíceis desta edição. Ou seja, vamos entrar no deserto mais inóspito do mundo e duvido que eles peguem leve”, conclui Pichini

A preocupação de Paulo Pichini tem fundamento. Segundo a organização, até agora todas as dunas e trechos de fesh fesh foram apenas parte das dificuldades desta edição; que ainda não chegou no seu maior obstáculo, o deserto do Atacama.

Para amanhã, segunda-feira, o rali parte de La Serena e segue ate Copiapo, no norte do Chile. O deslocamento será curto, com apenas 88 km, depois os competidores seguem para 449km de trecho cronometrado, 537 km no total.

“Sabemos que um dia bom é animador, incentivador sem duvidas, mas ainda é apenas um dia bom. Um rali tão grande, cheio de situações surpreendentes e inesperadas tem muito a oferecer ainda. Até aqui assistimos muitos abandonos, desistências e favoritos ficando pelo caminho. Precisamos estar preparados para as dificuldades que vem pela frente, e elas não serão poucas”, observa Lourival.

Confira abaixo como será a etapa de amanhã (12):
Etapa 9 – La Serena /Copiapo (Chile)
Deslocamento: 88 km
Especial: 449 km
Total do dia: 537 km

Características: Pista rápida, montanhas, areia, pedras e as tão temidas dunas do Atacama. A etapa traz a assinatura do Dakar com boa variação de terrenos e amplitude de dificuldades. Esta será a primeira das três etapas decisivas da edição deste ano. A fama do Deserto do Atacama, o mais seco do planeta, será testada pelos competidores. Será preciso versatilidade e estratégia eficiente para superar a nona etapa da prova.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *