F-BMW: Pilotos disputam chance de andar em um carro de F1

Os melhores pilotos de cada um dos quatro campeonatos de Fórmula BMW espalhados pelo mundo se encontram neste fim de semana, em Valência, na Espanha, para uma espécie de final, que tem como destaque o prêmio oferecido ao vencedor.


Quem levar a melhor no domingo (26) receberá a oportunidade de testar o carro da equipe BMW de Fórmula 1 no ano que vem. São trinta e sete competidores que vêm dos campeonatos inglês, alemão, asiático e norte-americano de Fórmula BMW. Algo que só é possível porque a categoria é monomarca e possui equipamentos iguais no mundo inteiro.

 


Para o piloto brasileiro Mario Haberfeld, que é sócio de uma equipe na Fórmula BMW Norte-Americana, a final mundial da categoria é o caminho mais curto para um teste na Fórmula 1. “A categoria é preparada para receber competidores que estão saindo do kart e logo no primeiro ano, independentemente do campeonato que o piloto escolher, ele tem a possibilidade de chegar à final e tentar ganhar um teste na Fórmula 1. Nenhum outro campeonato oferece este diferencial”, afirma Mario Haberfeld, que foi piloto de testes da McLaren antes de se transferir para os Estados Unidos.


 


O maior exemplo deste caminho que a Fórmula BMW abre para a Fórmula 1 foi dado nesta quinta-feira (23), em Valência, diante dos 37 participantes da final mundial deste ano. Marco Holzer, de apenas 18 anos de idade, vencedor da decisão do ano passado, completou 65 voltas ao volante do F1.06, modelo utilizado em 2006 pela BMW Sauber na Fórmula 1. “Acho que foi bom para os finalistas que estão aqui perceberem o quanto o evento é importante. Eles têm que dar o máximo nos próximos dias, porque é uma oportunidade incrível”, disse Marco Holzer, que recebeu elogios de Mario Thiessen, diretor do time.


 


Não há nenhum brasileiro participando da final deste ano em Valência. Um cenário que Mario Haberfeld espera mudar no ano que vem, abrindo uma porta para jovens pilotos na classe norte-americana da categoria, por meio de sua equipe em sociedade com Derrick Walker. Depois de apresentar seu projeto recentemente no Brasil, ele vem conversando com alguns competidores e está planejando um teste coletivo para pilotos brasileiros na segunda metade de janeiro do ano que vem, num circuito da Flórida. O objetivo é começar as negociações para que o time tenha um brasileiro competindo em 2007.


 


“Ainda estamos estudando o formato deste treino, mas quero reunir o maior número de participantes possível, para conversar com todos e analisar as possibilidades de cada um. Estamos abrindo uma porta nos Estados Unidos e ao mesmo tempo facilitando o início de uma carreira internacional, que mais tarde o piloto pode direcionar para a Fórmula 1, a Champ Car, a IRL ou o que tiver como objetivo”, revela Mario Haberfeld. “Quero também aproveitar os meus contatos de dez anos de carreira para ajudar na seqüência do caminho de quem estiver conosco”, comenta.


 


Quem está efetuando os contatos com os pilotos brasileiros interessados em participar deste teste é Paulo Carcasci, coordenador de projetos da equipe, que fica no Brasil e tem todas as informações necessárias para os competidores que desejam planejar a viagem aos Estados Unidos e treinar com a Haberfeld & Walker Racing. A data e o local do teste ainda não foram oficialmente anunciados, mas é certo que será no final de janeiro, provavelmente num circuito da Flórida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *