F1: Aos 84 anos, morre Sid Watkins, lendário médico da Fórmula 1

Uma notícia triste no mundo do automobilismo foi divulgada no final da tarde desta quarta-feira. Faleceu, aos 84 anos de idade, Sid Watkins, neurocirurgião que foi médico-chefe da Fórmula 1 durante quase três décadas. O britânico ficou conhecido por ser o primeiro profissional a tentar resgatar Ayrton Senna, depois do acidente em Ímola, no ano de 1994, que acabou vitimando o ídolo brasileiro.

Watkins foi o responsável por salvar inúmeras vidas na categoria e teve atuação fundamental na melhora da segurança dos carros e consequente preservação da vida dos pilotos. Após os óbitos de seu amigo pessoal, Ayrton Senna, e Roland Ratzenberger, em Ímola, ele se tornou ainda mais atuante nesse sentido e isso culminou no fato de que, desde então, mais nenhum piloto morreu na F-1. O médico também resgatou Mika Rakkinen, em 1995, após famoso acidente com o finlandês.

Depois de deixar o cargo de diretor-médico da maior categoria do automobilismo, em 2005, Watkins se tornou membro da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) e participou da presidência do instituto da entidade, trabalhando na segurança do esporte. Ele ficou nessa posição até o último ano, quando acabou se aposentando.

Sua carreira no automobilismo começou na década de 1960, quando trabalhava no circuito britânico de Watkins Glen, na Inglaterra. Em 1996, o neurocirurgião ganhou o prêmio Marco Andretti de Excelência Médica e também foi honrado com uma Ordem do Império Britânico (OBE), em 2002.

Rubens Barrichello, que já foi atendido por Watkins, lamentou a notícia pelo Twitter. “Devo minha vida ao professor Sid Watkins. Foi ele que me salvou em Ímola-94. Uma pessoa alegre, competente… Lembrarei sempre de ti amigo. Vá com Deus”, escreveu Rubinho, que se envolveu em forte acidente no mesmo final de semana da morte de Senna.

Fonte: GazetaEsportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *