F1: Após chegar em quinto, Barrichello reclama de entrosamento

Para quem começou o GP da Malásia no oitavo lugar por causa de uma punição por trocar o câmbio de seu carro, Rubens Barrichello deu-se por satisfeito com o quinto posto conquistado na Malásia.

“O importante é que consegui pontos valiosos neste começo de temporada com um ótimo carro, que ainda precisa de alguns acertos”, disse o piloto da Brawn GP, que chegou a estar em segundo lugar após sua primeira parada, mas, assim como a maioria dos pilotos, colocou os pneus errados.

“Eu queria ter posto os intermediários, mas a equipe disse que vinha chuva forte. Acho que ainda falta entrosamento, mas isso é reflexo da falta de treinos. A gente acaba pagando o preço na pista”, disse Barrichello, que se manteve na vice-liderança do Mundial, com cinco pontos a menos que seu companheiro, Jenson Button.

Apesar do bom desempenho da Brawn GP se dever em boa parte ao polêmico difusor, o brasileiro não teme que ele seja considerado fora do regulamento pela Corte de Apelações da FIA no próximo dia 14.

“O problema maior vai ser se tirarem nossos pontos. Sem os difusores, nós vamos perder uns três décimos”, afirmou o piloto brasileiro.

Mea culpa

Nelsinho Piquet não culpou sua equipe por ter finalizado a corrida da Malásia apenas em 13º. “Não tenho esse direito porque eu caguei na classificação”, assumiu o piloto brasileiro, que largou em 17º após errar em sua volta rápida durante o treino classificatório. Ele já acumula três corridas sem pontuar. Segundo Piquet, porém, o forte da Renault não é escolher a melhor estratégia em provas marcadas por fortes chuvas. “Desde 2007 tenho observado isso e realmente não é nosso forte”, concluiu.

Fonte: Folhapress

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *