F1: Após redução dos sedativos, Schumi ainda não responde a estímulos

No final de janeiro, quando Michael Schumacher já completava um mês internado, Sabine Kehn, assessora de imprensa do ex-piloto, confirmou que os médicos iriam começar a reduzir os sedativos para iniciar o processo de despertar do coma. Apesar de a medida já estar sendo realizada há duas semanas, o alemão ainda não tem apresentado melhores, como informa o jornal Bild.

O pronunciamento de Kehn também foi o último sobre o estado de saúde de Schumi, que segue internado no Hospital Universitário de Grénoble, na França. Mesmo sem apresentar melhores, a situação já era esperada, já que a própria assessoria havia ressaltado que ainda pode demorar muito tempo para que ele acorde.

Segundo a publicação, Corinna, mulher de Schumacher, continua seguindo as recomendações dos médicos e conversa diariamente com o marido na tentativa de auxiliar o processo de recuperação.

Fonte: GazetaEsportiva.Net   

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *