F1: Chefes de equipe lamentam saída do GP do Canadá

Convocados para entrevistas aos jornalistas nesta sexta-feira em Fuji, no Japão, os chefes das equipes Honda, Toyota e BMW Sauber lamentaram retirada da etapa do Canadá do calendário da Fórmula 1 no ano que vem. A decisão fará o Brasil única parada no continente americano. Isso, avaliam os dirigentes, é ruim para os interesses econômicos da categoria.

“Obviamente, nós não estamos felizes em não competir mais na América do Norte. Os Estados Unidos são o mercado mais importante do mundo para a BMW, pensando-se na empresa como um todo”, comenta Mario Theissen, chefe da BMW Sauber.


“Foi difícil deixar a prova lá, mas ainda assim o Canadá tinha uma torcida muito grande pela Fórmula 1. Ao invés de retirar somente esta etapa, pelo menos os Estados Unidos poderiam voltar”, analisa.


O mandatário da Toyota, John Howett também fez menção ao charme de Montreal, mas assim como o colega insistiu na importância do mercado norte-americano para as montadoras.


“Estou triste pelo Canadá, pois esta era uma excelente corrida. Acho que um dos objetivos da associação das equipes. Mas estabelecer uma corrida nos Estados Unidos será bom para todos, já que este é um importante mercado para nossos patrocinadores e para a Fórmula 1”, destaca.


Já Nick Fry, da escuderia Honda, endossou o discurso dos colegas. “Precisamos ver não só como vamos voltar ao Canadá, mas à América como um todo, porque este é importante mercado e atravessar o Atlântico para fazer apenas uma prova tem um custo enorme. Temos que olhar a América como mais uma base estratégica”, avalia.


Fonte: Gazeta Press

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *