F1: Debaixo de neve, treinos não são suspensos e chefe da McLaren reclama

Nesta quarta-feira, foram programados mais testes pela pré-temporada da Fórmula 1, em Barcelona. Acontece que a pista foi liberada com três horas de atraso, devido às péssimas condições climáticas que assolaram o circuito, coberto por neve e chuva. Para que as atividades fossem suspensas, era necessária uma unanimidade entre as equipes, que não foi alcançada devido a dois votos contrários.

A ideia inicial das escuderias que foram a favor da suspensão era acrescentar um dia de testes na sexta-feira, quando o clima deverá estar mais adequado. Chefe da McLaren, Eric Boullier se mostrou indignado com a situação e, principalmente, com as duas equipes que foram contra a suspensão dos treinos desta quarta.

“Para mudar a programação, precisaríamos de unanimidade entre as equipes, de um acordo. Mas dois times não aceitaram. É obviamente um desperdício de dinheiro. Decidimos salvar custos e ter oito dias de testes. Estar aqui nos faz gastar dinheiro, e como testaremos semana que vem aqui, ter um dia extra seria o ideal. Isso mostra desperdício de dinheiro e interesses egoístas”, disparou, em entrevista à emissora britânica Sky.

Não se sabe ao certo quais foram as duas escuderias que inviabilizaram a tentativa de prolongar o período de testes na pré-temporada em Barcelona. Fato é, que Mercedes e Ferrari, detentoras dos maiores orçamentos do grid, seriam as menos afetadas com a mudança na programação, como sugere Boullier.

Com 30 minutos restando para o final do treinamento, apenas cinco pilotos foram à pista, todos sem marcar tempo. Foram eles: Fernando Alonso (McLaren), Daniel Ricciardo (RBR), Marcus Ericsson (Sauber), Robert Kubica (Williams) e Brendon Hartley (STR). A 10 minutos do fim, Alonso foi o primeiro a marcar tempo, completando a volta em 2:21.268, mais de um minuto mais lento que Sebastian Vettel, na terça-feira, com a pista seca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *