F1: Diretor da Pirelli confirma mudanças para GP do Canadá

O alto desgaste dos pneus no Grande Prêmio da Espanha, no último final de semana, fez com que a Pirelli confirmasse mudanças para as próximas provas. Um dos maiores exemplos que evidencia a degradação foi o número de paradas feito pelos pilotos. 13 dos 19 que concluíram o circuito pararam no boxe em quatro ocasiões.

“Nunca tivemos a intenção de ter provas de quatro paradas, então vamos fazer alterações na construção dos pneus. Estaremos levando um pouco da concepção dos pneus de 2013, mas também alguns dos elementos dos produtos de 2011 e 2012 que tão bem nos serviram durante esse período. Queremos voltar a ter duas ou três paradas”, declarou Paul Hembery, diretor-esportivo da fornecedora.

A ideia é que novos pneus já sejam utilizados no GP do Canadá, sétima prova da competição e que está marcada para o dia 9 de junho. Ainda segundo o dirigente, um dos motivos que determinaram a rápida degradação é a impossibilidade de realizar testes com condições semelhantes à F1 atual.

“Provavelmente, nós subestimamos a performance. Não podemos testar com os carros atuais e todos nós temos acesso a um Renault de 2010, que completa voltas 4 ou 5 segundos mais lento do que os atuais carros de F1 fazem num domingo. Por isso, acabou sendo uma combinação de fatores”, comentou o britânico.

Além das reclamações pelo rápido desgaste, os pneus apresentaram algumas coisas atípicas nas últimas corridas, em Bahrein e em Barcelona. Nos dois casos, os pneus de Lewis Hamilton e Paul di Resta furaram sem um motivo, o que também será estudado.

“Visualmente, as falhas foram espetaculares, o pneu ficou inflado. Foi algo que há tempos a F1 não via, não gostamos daquilo. E isso também influenciou as opiniões na mídia, o que acabou influenciando o pensamento dos fãs”, concluiu Hembery.

Fonte: GazetaEsportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *