F1: Fernandes nega tentativa de união das duas Lotus

Presidente do Grupo Lotus disse que dirigente malaio pediu o triplo da Renault

A disputa entre Tony Fernandes, dono da Lotus Racing, e o Grupo Lotus ainda não teve fim. Dany Bahar, presidente do Grupo, afirmou que Fernandes tentou fazer um acordo para se unir a lendária equipe, mas o valor pedido era três vezes maior do que foi acordado com a Renault.

Porém Tony negou as declarações de Bahar e afirmou que jamais esteve em contato com o dirigente.

– Há rumores de que a participação da Lotus Cars com a Renault é de 20 milhões de libras (cerca de R$ 53 milhões), enquanto eu teria pedido 60 milhões de libras (aproximadamente R$ 159 milhões) mais que todo o nosso orçamento, o que é uma completa invenção. Jamais tivemos um jantar no passado. Dany Bahar e Riad Asmat (sócio da Lotus Racing) se conheceram e foi isso. Nunca houve oferta – explicou.

Além disso, o Fernandes deixou claro que não vai desistir de utilizar o nome da lendária equipe.

– Somos pragmáticos. Deveria haver uma solução, mas devemos fazer o que é certo para a marca. Nosso acordo foi rescindido de forma ilegal, gostaríamos de ver uma forma de resolver isso. Mas tem de ser justo e precisa respeitar o que fizemos. Se eles deixarem de ser arrogantes, quem sabe podemos fazer um acordo – concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *