F1: Guy Ligier falece aos 85 anos

O ex-piloto, e dono de equipe, Guy Ligier faleceu no domingo (23/08), aos 85 anos.

Nascido em 12 de julho de 1930, em Vichy, na França, Ligier começou a competir na década de 1950. Enquanto sua empresa de construção civil crescia, junto com a amizade com vários políticos franceses, como François Mitterrand.

Entre 1966 e 1967, Ligier, de forma privada, disputou 12 GPs oficiais de F-1. No GP da Alemanha de 1968, ele terminou na oitava posição com um Brabham BT20. Mas como dois carros a sua frente eram de F-2, e inelegíveis para pontos, Ligier ganhou um ponto (equivalente ao sexto lugar).

Com a morte do compatriota, e parceiro de competições, Jo Schelesser, durante o GP da França de 1968, Ligier decidiu se aposentar das pistas.

Ligier continuou ligado ao automobilismo, mas como construtor. Inicialmente construindo carros protótipos, sempre com as iniciais JS (de Jo Schlesser).  Em 1974, ele comprou o espólio da equipe Matra, entrando na F-1 dois anos depois. 

Nos primeiros anos, a Ligier adotou apenas um carro, pilotado pelo francês Jacques Laffite. Que conquistou a primeira vitória da equipe no GP da Suécia de 1977.

Em 1980, a equipe foi Vice-Campeã de Construtores.  Em 1979, 1980 e 1981, o francês Jacques Laffite terminou em quarto lugar no Campeonato Mundial de Pilotos. No período foram sete vitórias. Cinco com Laffite (Argentina, Brasil e Espanha 1979, Bélgica e Alemanha 1980, Austria e Canadá 1981), uma com o francês Patrick Depailler (Espanha 1979) e outra com o também francês Didier Pironi (Bélgica 1980).

Entre 1982 e 1986, a equipe alternou altos e baixos. Conquistando alguns pódios, mas sem figurar entre as principais equipes.

Após seis temporadas decepcionantes (apenas dez pontos somados entre 1987 e 1992), e o fim da ligação com o governo de Mitterrand, Ligier vendeu a equipe em 1992, para o francês Cyril Bourlon de Rouvre.

Nos quatro anos seguintes, a Ligier teve um grande ganho de desempenho, figurando entre as seis melhores equipes do grid. No GP de Mônaco de 1996, o francês Olivier Panis conquistou novamente a vitória para a equipe, após 15 anos.

Até 1996, quando disputou sua última prova no Japão, os carros da Ligier apareceram em 326 GPs, com nove vitórias, nove poles, nove melhores voltas e 50 pódios.

O francês Alain Prost, Tetracampeão Mundial de F-1, comprou a equipe, que foi renomeada Prost Grand Prix em 1997.

Após deixar a F-1, a Ligier voltou a construir carros em 2004, para as competições de endurance. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *