F1: Investigações apontam que Schumacher não tentou ajudar ninguém

Os primeiros resultados da investigação do acidente de Michael Schumacher foram divulgados pela promotoria de Albertville, na França, nesta quarta-feira. Sem surpresas, foi confirmado que o ex-piloto estava aproximadamente a oito metros fora dos limites da pista, mas, ao contrário do que foi falado nos últimos dias, ele não tentou ajudar ninguém no local.

Nas investigações, foi analisado o vídeo feito pela câmera portátil que Michael Schumacher carregava em seu capacete enquanto esquiava. Segundo os investigadores, as imagens do vídeo são nítidas e é possível ver a sinalização de que o local era impróprio para a prática do esporte.

A informação de que Schumacher saiu da pista para ajudar um amigo foi feita por Sabine Kehm, assessora do alemão. Com a análise da imagem, a hipótese foi descartada, assim como outras especulações de que ele havia tentando ajudar uma criança.

Os investigadores ainda informaram que a velocidade exata de Schumi no momento da queda não foi verificada, mas é possível perceber que ele esquiava em uma velocidade razoável, sendo possível compará-lo com um “esquiador bom”.

Outra hipótese que foi descartada é a de que a queda aconteceu por causa de problemas nos esquis. Recolhidos para serem avalidos, os equipamentos também passaram por uma criteriosa análise e não apontaram falhas. Vendo o esqui danificado na parte de baixo e associando com as imagens, foi possível confirmar que ele caiu com a face em uma pedra após bater em uma outra rocha enquanto fazia uma curva.

O investigador Patrick Quincy, que deu entrevista coletiva à imprensa, concluiu garantindo que ainda não é tempo para apontar culpados ou considerar Schumacher imprudente.

“Neste estado da investigação, não podemos responder perguntas sobre responsabilidade. Nós vamos estudar as imagens com as pessoas mais qualificadas possíveis e com especialistas”, disse Quincy, que ainda garantiu que as investigações aconteceram da mesma forma como acontecem com outros acidentes desse tipo. “Temos investigadores especializados neste tipo de acidente. Todo inverno, temos 50 investigações deste tipo e sempre usamos os mesmos métodos e a mesma atenção aos detalhes”.

Fonte: GazetaEsportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *