F1: Lewis Hamilton vence GP da Hungria

O inglês Lewis Hamilton, da McLaren, venceu neste domingo (26/07), o GP da Hungria, em Hungaroring, 11º etapa da temporada. Foi a primeira vitória do atual campeão no ano e 10ª na categoria. O finlandês Kimi Raikkonen, da Ferrari e o australiano Mark Webber, da Red Bull, completaram o pódio.

Na largada o pole-position, o espanhol Fernando Alonso, da Renault, manteve a ponta, com o alemão Sebastian Vettel, da Red Bull, caindo da segunda para a sétima posição. Webber era o segundo, seguido por Hamilton, Raikkonen, o alemão Nico Rosberg, da Williams, o finlandês Heikki Kovalainen, da McLaren, Vettel e o japonês Kazuki Nakajima, da Williams, que pouco depois foi superado pelo líder do campeonato, o inglês Jenson Button, da BrawnGP.

Com pouco combustível, Alonso começou a abrir vantagem, tendo três segundo de frente na 4ª volta. Usando o KERS, Hamilton ultrapassou Webber na 5ª volta, assumindo a segunda posição, e partindo para cima de Alonso. Na mesma volta o alemão Adrian Sutil, da Force-India, abandonava nos boxes.

Na 12ª volta o bi-campeão, como esperado, foi o primeiro a parar nos boxes, para o reabastecimento e troca de pneus, voltando em 9º. Contudo a equipe não fixou corretamente o pneu dianteiro direito, que se soltou, saindo voando pela pista, felizmente não acertando nenhum carro, até parar no guard-rail. Alonso teve que retornar aos pits em três rodas. Cinco voltas depois o espanhol abandonou, nos boxes.

Hamilton era o líder, com 1s5 de vantagem para Webber. O australiano e Raikkonen entraram juntos nos boxes, na 20ª volta. Webber acelerou seu carro, ainda suspenso, causando confusão entre os mecânicos de sua equipe. Na saída ele quase bateu na Ferrari de Raikkonen, que ganhou a posição. Hamilton e Rosberg pararam na 21ª volta, com Vettel e Kovalainen entrando na seguinte.

Hamilton em primeiro com 7s de vantagem sobre Raikkonen, que vinha em 4º, entre as Toyota do italiano Jarno Trulli e o alemão Timo Glock, que não haviam parado nos boxes. O brasileiro Rubens Barrichello, da BrawnGP, também sem parar, era o 7º.

Pelo rádio, Vettel avisou a equipe que alguma peça do carro tinha quebrado, com uma fumaça saindo da traseira do Red Bull. Ele foi aos boxes, trocar o bico do carro, retornando duas voltas depois, para abandonar com problemas na suspensão dianteira, danificada em um toque com Raikkonen na largada. A partida meio estabanada do finlandês, que usou o KERS nos primeiros metros da prova, indo para cima de Hamilton e Vettel, iria ser investigada após a corrida.Os comissários decidiram que Raikkonen não sofreria nenhuma punição.

Barrichello foi o último a fazer o seu primeiro pit stop, na 34ª volta.

Com metade da prova disputada Hamilton tinha 6s6 de vantagem sobre Raikkonen. Webber era o 3º, seguido por Kovalainen, Rosberg, Glock, Trulli e Button. Na 45ª volta Kovalainen foi o primeiro a fazer o segundo pit stop, com Raikkonen parando na seguinte, para colocar pneus duros. Também colocando pneus duros, Hamilton entrou na 47ª volta, mantendo a liderança.

Pressionando Webber pela terceira posição, Rosberg entrou nos boxes na 50ª volta. O australiano faz a sua segunda parada na volta seguinte, conseguindo voltar à frente do alemão, e atrás de Glock, que ainda não havia parado novamente.

Com mais de dezesseis segundos de vantagem sobre Raikkonen, Hamilton caminhava para a sua primeira vitória no ano. As últimas paradas nos boxes definiram as posições na pista, com Glock, que era o terceiro, sendo o derradeiro a entrar nos pits, na 61ª volta, retornando na 6ª posição.

Hamilton venceu, seguido por Raikkonen, 11s5 atrás, e Webber. Rosberg foi o 4º, com Kovalainen na 5ª posição e Glock em 6º. Button, que na metade da prova avisou a equipe, via rádio, que o carro estava ruim, conseguiu um suado 7º lugar. Trulli completou a zona de pontos.

Barrichello chegou em 10º, com Nelsinho, ameaçado de perder a vaga na Renault, fazendo uma prova sem erros, na 12ª posição. Mais uma vez fazendo uma prova medíocre, as BMW Sauber do alemão Nick Heidfeld e do polonês Robert Kubica, foram, respectivamente, 11ª e 13ª colocadas.

Mais jovem piloto a disputar um GP de F-1, aos 19 anos e 125 dias, o espanhol Jaime Alguersuari, levou sua Toro Rosso ao 15ª lugar, a frente do parceiro Buemi.

Button lidera o mundial, com 70 pontos, mas a cada prova se vê mais ameaçado pela dupla da Red Bull. Webber é agora o vice-líder, com 51,5 pontos. Vettel, em terceiro, soma 47, seguido por Barrichello, com 44. Rosberg é o 5º, com 25,5 pontos.

Entre os construtores a Reb Bull também ameaça a taça da BrawnGP, que tem 114 pontos, contra 98,5 da equipe austríaca.

Devido à roda solta do carro de Alonso a Renault foi suspensa do GP da Europa. A equipe foi considerada negligente por liberar o espanhol para retornar a prova com roda dianteira direta solta, que acabou se soltando na pista.

A equipe declarou que irá recorrer da decisão.

Os comissários decidiram que Raikkonen não sofreria nenhuma punição pela manobra na largada, quando colocou o carro ao lado do de Hamilton, que acabou espremendo Vettel. A manobra foi considerada acidente de corrida.

O campeonato entra num recesso de três semanas, retornando no dia 23 de agosto, com o GP da Europa, disputado no circuito de rua de Valência (Espanha).

Felipe Massa

Em um boletim divulgado pela Ferrari, a equipe informou que uma tomografia computadorizada não revelou n4enhuma lesão no cérebro do brasileiro Felipe Massa, internado no Hospital AEK, após um acidente no treino de ontem, quando foi acertado na cabeça por uma mola, que caiu do carro de Barrichello.

Ele foi submetido a uma cirurgia para a retirada de um fragmento de osso próximo ao supercílio esquerdo, sendo colocado em coma induzido na UTI. Massa sofreu uma pequena lesão no crânio e uma concussão cerebral.

Nesta manhã o piloto foi acordado para exames e novamente sedado. Segundos os médicos seu estado de saúde é grave, porém estável.

Os pais e a esposa do vice-campeão mundial já chegaram ao país do Leste Europeu, assim como o médico pessoal de Felipe, Dino Altmann.

Em entrevista a Rede Globo Altmann disse que conversou com Massa, perguntando se o reconhecia, sendo respondido afirmativamente pelo ferrarista. O piloto disse que não sente dor.

Final:

1. Lewis Hamilton GBR McLaren-Mercedes 70 em 1h38m23.876
2. Kimi Raikkonen FIN Ferrari a 11.529
3. Mark Webber AUS Red Bull-Renault a 16.886
4. Nico Rosberg ALE Williams-Toyota a 26.967
5. Heikki Kovalainen FIN McLaren-Mercedes a 34.392
6. Timo Glock ALE Toyota a 35.237
7. Jenson Button GBR Brawn-Mercedes a 55.088
8. Jarno Trulli ITA Toyota a 1m08.172
9. Kazuki Nakajima JAP Williams-Toyota a 1m08.774
10. Rubens Barrichello BRA Brawn-Mercedes a 1m09.256
11. Nick Heidfeld ALE BMW Sauber a 1m10.612
12. Nelson Piquet BRA Renault a 1m11.512
13. Robert Kubica POL BMW Sauber a 1m14.046
14. Giancarlo Fisichella ITA Force India-Mercedes a 1 volta
15. Jaime Alguersuari ESPToro Rosso-Ferrari a 1 volta
16. Sebastien Buemi SUI Toro Rosso-Ferrari a 1 volta

Abandonos:
Sebastian Vettel ALE Red Bull-Renault 29 voltas
Fernando Alonso ESP Renault 15 voltas
Adrian Sutil ALE    Force India-Mercedes 1 volta
      
Volta mais rápida:

Mark Webber AUS Red Bull-Renault 1m21s931 na 65ª volta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *