F1: Líder, Kubica diz não acreditar em conquista de título

O líder do campeonato mundial de Fórmula 1, Robert Kubica, afirmou nesta quinta-feira que seus rivais estavam certos ao considerá-lo um candidato improvável ao título.

“Olhando e analisando a minha situação e a de minha equipe, eu também não me considero um favorito ao título”, disse o polonês da BMW, em entrevista preparatória que antecede o Grande Prêmio da França.


O atual campeão mundial Kimi Raikkonen, da Ferrari, disse depois da vitória de Kubica no GP do Canadá que ele estava feliz com o fato de o polonês, e não o rival Lewis Hamilton ou o companheiro de equipe Felipe Massa, ter vencido a prova.


“Foi bom Kubica ter vencido no Canadá”, disse o finlandês em seu site oficial. “Para nós, foi bom ele ter conseguido dez pontos e não meus principais rivais, que estão apenas três pontos na minha frente”, destacou.


Raikkonen não pontua há duas corridas e a vitória de Kubica colocou o polonês a quatro pontos de Massa e Hamilton, e a sete pontos do finlandês, depois de sete corridas na temporada.


Perguntado se ele se sentia subestimado por Raikkonen, que via apenas Massa e Hamilton como seus principais adversários, Kubica negou. “Analisando a situação do ponto de vista de Kimi, eu me preocuparia mais com Felipe e Lewis também”, disse.


Kubica atribuiu seu aparecimento na competição à excepcional confiabilidade de sua equipe. O caminho para a vitória do polonês em Montreal foi aberto depois que Hamilton bateu na traseira do carro de Raikkonen na saída dos boxes, enquanto o piloto da Ferrari esperava que a luz vermelha se apagasse.


“No final, normalmente o piloto e o carro mais rápidos vencem o título, mas as vezes pode acontecer de vencer o piloto mais consistente”, disse Kubica. “A única maneira para chegar a esta posição (liderando o campeonato) é sem cometer erros, com boa estratégia e confiança. A confiabilidade agora é 100 por cento perfeita e os rapazes da equipe deram um grande passo à frente nesse sentido”, completou.


O diretor da equipe, Mario Theissen, sugeriu que Kubica estava sendo muito modesto, mas acrescentou que estava feliz com o fato de que Ferrari e McLaren se vêem como principais adversários. “Do meu ponto de vista, isso pode continuar assim para o resto da temporada”, disse o alemão a jornalistas, com um sorriso. “Nós, como equipe, e Robert, como piloto, já excedemos as expectativas até agora, a pressão não está em cima da gente”, ressaltou.


A BMW havia estipulado a meta de ganhar uma corrida pela primeira vez neste ano e Theissen disse que o novo objetivo é simplesmente continuar com o melhor desempenho a cada corrida.


“Não há pressão adicional, e sim o contrário”, disse. “Mas aparentemente a equipe está motivada para atingir bons resultados agora”, concluiu


Fonte: Reuters

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *