F1: Loeb testa GP2 e confirma que pode correr em Abu Dhabi

O rumor de que Sebastien Loeb pode disputar o Grande Prêmio de Abu Dhabi de Fórmula 1 pela Toro Rosso não é uma mera especulação. Confirmando ter interesse em participar do evento, o pentacampeão mundial de rali anunciou nesta terça-feira que já marcou até um teste com um carro da GP2 para se preparar.

A princípio apenas um rumor no paddock da Fórmula 1, a chance de Loeb participar da etapa final da temporada ganhou força depois que ele recebeu o apoio público de Fernando Alonso. “No que toca ao desempenho, tenho certeza de que ele pode ir bem”, assegurou o espanhol, elogiando o colega em 18 de setembro.

Apenas 11 dias depois, o próprio francês confirmou que a possibilidade é real. Entre 6 e 8 de setembro, a GP2 realizará três dias de testes em Jerez de la Frontera, dos quais o experiente homem de 35 anos participará do último. “Eu gosto de multiplicar minhas experiências nas pistas”, apontou em seu site oficial.

Além do prazer, Loeb revelou ter aceitado o convite também por um outro motivo: a possibilidade de utilizar um monoposto parecido ao da Fórmula 1, o qual pode assumir em 1 de novembro em Abu Dhabi. Na realidade, ele confirmou que o chefe de sua equipe no rali, Olivier Quesnel, já deu o sinal verde para que assuma o cockpit da Toro Rosso, e agora só faltaria o “sinal verde” da Red Bull, empresa que é patrocinadora do piloto e dona do time de Sebastien Buemi e Jaime Alguersuari.

Pentacampeão do Mundial de Rali (WRC), o francês pode mudar de categoria justamente após a temporada mais difícil dos últimos seis anos – antes dominante, agora está cinco pontos atrás do finlandês Mikko Hirvonen, líder da classificação, e tem duas etapas para tentar reverter esse quadro.

Em novembro do ano passado, ele chegou a testar para a Red Bull em Barcelona, ficando na oitava posição entre os 17 pilotos que foram à pista, à frente inclusive dos brasileiros Nelsinho Piquet, Bruno Senna e Lucas di Grassi. Na ocasião, ele descartou que a idade avançada poderia impedir sua transferência para a Fórmula 1 em 2010: “Os chefes de equipe acreditam que eu sou um pouco velho, mas mentalmente não me sinto assim. Com um bom período de treinamento, posso ser rápido”.

Fonte: Gazeta Esportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *