F1: Para Jean Todt, Fórmula 1 deveria ser totalmente controlada pela FIA

A contestação em cima dos órgãos que regem a Fórmula 1 vem aumentando cada dia mais devido as alterações que estão sendo feitas no regulamento da categoria e outras que estão previstas para 2017. Em meio ao momento de transição, a própria FIA (Federação Internacional de Automobilismo) questiona a organização através de seu presidente, Jean Todt.

Todt, ex-diretor da Ferrari, acredita que a divisão do comando entre entidades não faz tanto sentido, e a FIA, como entidade máxima do automobilismo, deveria ter pleno e integral controle de sua categoria mais importante.

“Seria a coisa mais lógica que a FIA possuísse o controle total, como regulador e legislador da Fórmula 1. Mas historicamente nunca foi assim, e foi dessa maneira que estava quando herdei meu cargo”, comentou o dirigente francês em entrevista para o Autosport.

A descentralização no comando da Fórmula 1 se deu com o Pacto de Concórdia, acordado em 1981, que definiu que o controle seria dividido entre a FIA, uma entidade específica chamada FOM (Fórmula One Management) e as próprias escuderias.

Mesmo ciente de que as falhas atuais que a gestão da categoria comete precisam ser corrigidas, Jean Todt não acredita em uma mudança imediata no comando, e prevê que apenas em 2020 o cenário terá chance de se alterar.

“O governo não é bom, mas está lá há décadas. Só em 2020 o Pacto de Concórdia deverá ser revisto e então mudanças podem ocorrer. Ainda é 2016 então nada poderá ser feito por enquanto. Não dá para simplesmente descartar o governo atual. Para fazer algo assim amanhã, seria necessário um acordo entre a FOM, a FIA e as equipes concordando que é hora de mudar”, completou.

Fonte: GazetaEsportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *