F1: Para Lauda, Schumacher deveria repensar e se aposentar

Tricampeão mundial da Fórmula 1, Niki Lauda mudou de opinião sobre o retorno de Michael Schumacher à categoria. Para o austríaco, que incentivava a volta do alemão, o heptacampeão mundial deveria ser honesto consigo mesmo e se retirar novamente das pistas, pois sua volta ao topo não se concretizará.

Lauda voltou a correr na F-1 depois de se aposentar pela primeira vez em 1982, depois de dois anos fora. Em 1984, conquistou seu terceiro título. No entanto, quando terminou em décimo em um campeonato, com 59 pontos atrás de seu companheiro de McLaren, o campeão daquele ano Alain Prost (na época o sistema de pontuação era diferente), o piloto da Áustria tomou a decisão de se aposentar.

Em entrevista para a revista britânica Motor Sport, ele comparou sua situação em 1985 com a atual de ‘Schumi’. “Eu sempre fui um grande apoiador do retorno de Michael – eu já o fiz, eu sei como é. Ano passado, nós entendemos que ele precisava de um tempo para se acostumar aos carros diferentes, somados à deficiência de não conseguir testar e todo o resto. Eu senti que este ano foi a última chance da volta acontecer, se fosse mesmo acontecer: e o ano foi igual ao anterior”, explicou.

Após o jornal italiano Corriere dello Sport  ter questionado o futuro do alemão na Mercedes, bem como a opinião negativa do próprio sobre a escuderia, sua empresária, Sabine Kehm, tratou de frisar que Schumacher está totalmente focado em seu carro, como sempre foi.

“Ele é cheio de paixão pelo projeto e vê como um grande desafio construir algo grande com a Mercedes. Alguém que, em breve, vai comemorar sua 20ª temporada na F-1 sabe que perseverança faz a diferença”, disse Kehm, que também revelou que o piloto não falou com nenhum periódico italiano, durante entrevista recente ao jornal alemão Bild.

No entanto, Lauda não acredita que a posição de Schumacher será benéfica ou que trará algum progresso para o heptacampeão. “Eu acho que todo esportista, se ele quer ter um desempenho alto como Schumacher no passado, tem que ser honesto consigo mesmo. Ele continua dizendo que precisa de mais tempo e ‘blá blá blá’. E se diz um cara relaxado que está aproveitando e se divertindo com tudo”, explicou.

“Você não vai para a Fórmula 1 por diversão. No fim, ele tem que perguntar para si: ‘eu posso ou não posso?’. Eu honestamente não acho que dará para Michael agora: quando você quer ser mais rápido, você tenta de tudo, e se você tentou de tudo e ainda não conseguiu, é isso. Eu tenho certeza que ele ainda está tentando, mas um dia ele irá realizar que não vai conseguir, e aí ele tomará essa decisão”, finalizou o ex-piloto.

Fonte: GazetaEsportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *