F1: Pilotos de várias categorias acham que Schumacher vai surpreender

Eles analisam do impacto motivacional ao trabalho na parte técnica que o alemão fará junto da Ferrari a partir do próximo GP.

Todos brasileiros, vários pilotos deram sua opinião sobre o retorno de Michael Schumacher a um cockpit da Ferrari. Eles lamentaram o acidente ocorrido com Felipe Massa no GP da Hungria, mas saudaram a oportunidade de ver o super campeão novamente ao volante. Talentos ainda iniciantes, como Pipo Derani, destacaram as possíveis dificuldades ligadas às modificações técnicas recentes sofridas pela F-1. Mas gente mais experiente, caso, por exemplo, de Chico Serra (piloto da equipe Hotwheels de Stock Car), acreditam que a experiência vai superar os problemas iniciais. E outros, como o gaúcho Claudio Ricci (do Itaipava GT3 Brasil), apostam em surpresas: “Como ele não tem nada a perder, vai poder arriscar mais do que os outros, que competem pensando em pontos e no campeonato”. E há os que fazem análises mais complexas: “Schumacher pode ser fundamental para a equipe em termos de desenvolvimento na segunda metade do campeonato, especialmente no final, quando estes efeitos poderão ser mais sentidos. Mais do que simplesmente substituir Massa, talvez sua grande contribuição seja na área técnica”, disse Marcos Moraes, piloto do Campeonato Brasileiro de Rally Cross-Country.
Confira as declarações a seguir:

Bruno Garfinkel, Itaipava Trofeo Maserati
“A volta dele será algo excelente para o esporte como um todo. Vai colocar à prova todos os pilotos que participam da atual da temporada. Eles vão sentir a responsabilidade de dividir curvas com uma lenda, com um cara que chegou a ser heptacampeão. O fato de ter aceitado o convite também mostra sua amizade e carinho pelo Massa. Acho que ele é um dos únicos pilotos aptos a competir pela Ferrari que não vão querer ocupar futuramente o lugar do Felipe”.

Chico Serra, Copa Nextel Stock Car
“Acho que, apesar de ter parado de competir na categoria, o Schumacher nunca perdeu contato com ela. Então, deve estar mais atualizado do que a maior parte das pessoas imagina. A idade (40 anos) vai pesar um pouco, mas o Schumacher é daqueles competidores que sempre surpreendem. Então, acho que essa volta tem tudo para ser um dos pontos altos do Campeonato. O Felipe não poderia ter um substituto que honrasse melhor seu cockpit”.

Cláudio Ricci, Itaipava GT3 Brasil
“Essa notícia é sensacional! E acho que o momento, apesar da tristeza pelo que aconteceu com o Massa, é bom, pois a Ferrari mostrou mais competitividade na última corrida, na Hungria. Então, o Schumacher chega em boa hora em termos técnicos. Mas é claro que eu preferiria o Schumacher no lugar do Raikkonen, e junto com o Felipe! Um detalhe importante é que ele não tem nada a perder. Então, acho que vai poder arriscar na estratégia de corrida de forma mais ousada que o restante, que tem que pensar na posição no campeonato, em não desperdiçar um ou outro pontinho. E o Schumacher correndo sem compromisso vai ser uma das melhores coisas da temporada, pode acreditar!”

Felipe Maluhy, Copa Nextel Stock Car
“É ótimo ter o Schumacher de volta, principalmente em termos de mídia para o esporte. Antes desse anúncio eu vi algumas declarações do Schumacher dizendo que está com 40 anos e que não seria mais o mesmo. Mas acho que tudo isso é uma estratégia para tirar a pressão de cima dele. Acho que o Schumacher será extremamente competitivo. Não sei se ele poderá superar o Raikkonen, mas com certeza os dois devem tirar 100% do carro. Será um duelo muito interessante”.

Gabriel Dias, Campeonato Inglês de Fórmula 3
“Eu tenho certeza de que o clima na Ferrari depois do acidente devia estar péssimo até hoje. O Massa, além de grande piloto, sempre foi alguém capaz de motivar o time. Essa é uma das missões mais difíceis para um piloto no automobilismo de hoje: conquistar a equipe, para que ela dê 110% e o ajude a atingir seus objetivos. Agora, com o Schumacher, acho que a Ferrari vai sofrer um choque de motivação. O Felipe aprendeu muito dessa arte com o Schumacher. Então, agora, a Ferrari vai entrar em campo com uma dupla motivação: dar seguimento ao trabalho do Felipe e atender ao incentivo do Schumacher. Por isso, talvez vejamos alguns lampejos do supertime das temporadas passadas. Seria perfeito ter Schumacher e Massa novamente”.

José Vite, Copa Renault Clio
“Acredito que essa foi uma má notícia para o Raikkonen. Ele já andava desmotivado, com o Felipe andando na frente dele constantemente. Mas agora vai dividir a equipe com uma lenda e um sujeito que é tudo para a Ferrari, um cara que virou uma espécie de embaixador do time, seu maior ídolo. O Schumacher é intocável e imagino a revolução que sua volta representa para a torcida, para os mecânicos, para a direção do time. Se antes já estava apagado, agora o Raikkonen pode acabar virando um acessório. Sua única salvação é andar na frente do alemão. E disso eu tenho muita dúvida no momento”.

Lucas Di Grassi, Campeonato Mundial de Fórmula GP2
“No contexto em que as coisas estão, o Schumacher é a melhor opção. Ele está sempre no meio da equipe, conhece o carro – apesar de não ter andado na configuração deste ano – e sem dúvida é o mais qualificado para substituir o Felipe. Acho difícil ele entrar na pista e estar no mesmo nível em que estava quando deixou a Fórmula 1. A parte mental dele deve estar melhor do que quando se aposentou, mas ele está mais velho e pode ter perdido um pouco daquela velocidade de reação e raciocínio. Não que ele esteja lento, mas acho que não será o Schumacher de antes. No momento o Felipe tem muito mais capacidade do que ele”.

Luciano Burti, Copa Nextel Stock Car
“Considerando o fato de ser uma situação inesperada e a equipe não teve como se preparar, o Schumacher foi a melhor opção, já que este ano os testes são proibidos e a equipe tinha a necessidade por alguém já pronto. Ele sempre se destacou pela facilidade de se adaptar a qualquer situação, carro e pista, sendo sempre veloz desde o início. E isso é reflexo puro do talento; é natural para o Schumacher superar dificuldades. Acho que ele vai ser muito rápido em Valência, porque este é o principal ponto forte dele. Não é impossível o Schumacher pensar em voltar definitivamente. Agora ele já descobriu o outro lado da moeda, de estar aposentado e ficar em casa. De repente ele pode achar melhor do que andar de moto e ficar se quebrando (Schumacher sofreu um acidente de moto treinando na Espanha e foi parar no hospital). Pode acontecer dele querer voltar e acho que isso pode passar pela cabeça dele, sim. Se ele não tivesse mais vontade, não teria aceitado o convite da Ferrari”.

Marcos Moraes, Campeonato Brasileiro de Rally Cross-Country
“Acho que o foco das atenções de forma geral nesse retorno, obviamente, será o rendimento do Schumacher na pista, diretamente nas corridas. Mas para a Ferrari há algo bastante interessante, que é o trabalho dele como acertador de carro. Isso pode ser fundamental para a equipe em termos de desenvolvimento na segunda metade do campeonato, especialmente no final, quando estes efeitos poderão ser mais sentidos. Mais do simplesmente substituir Massa, talvez sua grande contribuição seja na área técnica”.

Pedro Enrique, Campeonato Europeu de Fórmula 3
“Só acho uma pena que não seja sob as melhores condições, pois só aconteceu com o Felipe se recuperando de um acidente. Seria mais legal que ele voltasse de outra forma. Mas acho que o Schumacher estará em ótimas condições, sim. Ele jamais toparia se expor tanto se fosse dar vexame. Mesmo estando há algum tempo parado, como sempre ele deverá surpreender. Por outro lado, não acredito que Schumacher volte para a Ferrari em definitivo. Ele está lá por amizade ao Massa e por fidelidade à Ferrari. Além disso, o Felipe tem o lugar dele e é muito respeitado por toda a equipe”.

Pipo Derani (mais jovem brasileiro no exterior, 16 anos), Campeonato Norte-Europeu de Fórmula Renault
“Foi show essa notícia! Ele é um ídolo e é muito bom tê-lo de volta. Acho que no começo ele vai ter um pouco de dificuldade, porque ficou muito tempo parado. Até pelas mudanças que foram feitas na parte técnica desde que ele saiu, que foram muitas. Mas ele tem bastante experiência com pneus slick e vai ter bom rendimento. A idade do Schumacher (40 anos) não muda nada. A experiência dele só ajuda, vai fazer a diferença; ele é um piloto completo”.

Tiago Geronimi, Campeonato Europeu de Fórmula 3
“Eu fiquei surpreso com a confirmação. É um dos nomes nos quais eu não apostava para o lugar do Felipe. Mas fiquei muito contente com a volta dele. É difícil dizer se ele vai ser competitivo. Faz tempo que não participa da F-1, então não dá para saber. Ainda tem o problema dos pneus slick, que mudaram todo o acerto do carro e têm uma diferença de três segundos para os pneus sulcados usados por ele desde 1998”. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *