F1: Prefeito vê fim do GP da Austrália após 2015

Altos custos da Fórmula 1 faz cidade planejar fim do ciclo na categoria após 20 anos

O prefeito de Melbourne, Robert Doyle, acredita que a cidade australiana não deve renovar seu contrato com a Fórmula 1 após o término do contrato, que tem duração até 2015.

O futuro da tradicional prova está em questionamento há algum tempo por causa das altas taxas que a organização tem de pagar para poder abrigar uma corrida. Nos últimos cinco anos, a prova gerou um prejuízo de aproximadamente R$ 71 milhões ao estado de Victoria, onde se localiza Melbourne.

Em sua coluna no jornal “Sunday Herald Sun”, o prefeito listou algumas possibilidades para o futuro, sem deixar de criticar o detentor dos direitos comerciais da categoria, Bernie Ecclestone:

– Primeiro, o chefe da F-1 Bernie Ecclestone pega suas coisas e vai embora para casa. Apesar de nossos esforços, o notoriamente difícil, controverso e excêntrico Bernie terá os dólares de algum país asíatico ou rico petróleo de um país do Oriente Médio. Segundo, levando em conta a vontade de Bernie para um corrida notura, ele construirá um circuito em Avalon ou Noble Park.

No fim do texto, Doyle deixou claro que a melhor opção para Melbourne será deixar a categoria após o término do contrato.

– Embora os benefícios para a cidade incluam centenas de milhões de dólares de publicidade, dezenas de milhões de dólares de receitas locais, um evento que possui entre 250 mil e 300 mil pessoas durante três dias, vai gerar um custo de AU$ 70 milhões (cerca de R$ 116 milhões) aos contribuintes. Os benefícios para a cidade são enormes, mas o ciclo se esgotou – admitiu.

Fonte: LANCEPRESS!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *