F1: Preview do Grande Prêmio do Bahrein

O CIRCUITO DO PONTO DE VISTA DO PNEU:

· A largada marcada para às 18h locais significa que a temperatura da pista irá cair dramaticamente durante a disputa da corrida.

· O asfalto com base de granito é duro e abrasivo, o que aumenta o consumo dos pneus.

· A areia do deserto que cerca a pista pode ser levada pelo vento, afetando a aderência.

· O circuito possui algumas curvas de baixa velocidade, onde boa tração é crucial, então a pista exige mais da parte traseira do carro.

· Ao mesmo tempo, quatro retas rápidas também formam o traçado, o que demanda um acerto mais versátil do carro.

· Safety cars raramente afetam a estratégia: foi acionado apenas duas vezes nos 12 anos de história da corrida.

 

OS TRÊS COMPOSTOS ESCOLHIDOS:

· Médio branco: um composto de baixa gama de trabalho e um dos mais versáteis.

· Macio amarelo: um composto de alta gama de trabalho e com foco em desempenho.

· Vermelho supermacio: um composto de baixa gama de trabalho e rápido, mas possui vida útil limitada.

 

COMO FOI UM ANO ATRÁS:

 

· Vencedor: Hamilton (duas paradas: começou com pneus macios, usou outro jogo de macios a partir da 15ª volta e, na 33ª, trocou para médios).

· Melhor posição de uma estratégia alternativa: Raikkonen, segundo (também parou duas vezes, mas começou com pneus macios, mudou para médios na 17ª volta e voltou para os macios na 40ª).

· Houve uma mistura de pilotos que pararam duas ou três vezes. Vettel chegou em quinto, com uma terceira parada não programada (intervenção necessária para trocar o bico do carro e colocar novos pneus).

 

PAUL HEMBERY, DIRETOR DE MOTORSPORT DA PIRELLI:

· “O novo regulamento dos pneus para 2016 provou ser um grande sucesso, garantindo diversas opções de estratégia e vários pontos de conversa para todos os times na Austrália. A pista do Bahrein é bem diferente, com o comportamento dos pneus sendo influenciado pela grande queda de temperatura enquanto a corrida acontece. Isso garante uma gama diferente de desafios e parâmetros, então será bem interessante ver quem aprendeu mais com a etapa da Austrália, para ter a melhor vantagem em outra situação nova. Existe um leque grande de opções para os times, o que deverá ser crucial no resultado da corrida”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *