F1: Raikkonen aponta falta de salários como motivo de saída da Lotus

Competindo pela Lotus desde o início do último ano, Kimi Raikkonen se consolidou como principal piloto da equipe e conquistou sequência histórica de 27 corridas consecutivas na zona de pontuação da Fórmula 1. Entretanto, os bons resultados não foram capaz de assegurar permanência do finlandês, que optou por acerto com a Ferrari para próxima temporada. E, nesta quinta-feira, o competir explicou o porquê da escolha.

“As razões pelas quais eu deixei a equipe são puramente financeiras e as coisas que não recebi, como meu salário. Isso é algo lamentável”, afirmou Raikkonen, que não viu esforço suficiente da alta cúpula da Lotus para assegurar sua permanência. “Eles sabem que diversas coisas poderiam ser feitas”, completou.

Aos 33 anos, Raikkonen compete na Fórmula 1 desde 2001, tendo passado afastado da categoria os anos de 2010 e 2011 para correr no Mundial de Rali. Em sua trajetória, o finlandês passou por Sauber, McLaren, Ferrari e Lotus, onde está desde o início de 2012. Na escuderia italiana, inclusive, o piloto conquistou o título da temporada 2007, superando o espanhol Fernando Alonso e o inglês Lewis Hamilton na última corrida do ano.

Nesta temporada, Raikkonen ocupa a quarta colocação na tabela de classificação do Mundial, com 134 pontos, venceu uma corrida e chegou seis vezes ao pódio. O atual tricampeão, Sebastian Vettel, lidera a disputa, com 222 pontos, seguido por Alonso, com 169 pontos, e Hamilton, com 141 pontos. Ao todo, o finlandês soma 20 triunfos e 75 pódios na categoria.

Em 2014, o finlandês substituirá o brasileiro Felipe Massa na Ferrari e terá Alonso como companheiro. A convivência entre o finlandês e o espanhol já é questionada nos bastidores da categoria, já que ambos costumam trabalhar com um competidor funcionando como segundo piloto na equipe.

“Eu não vejo razão pela qual isso não funcionará. Estamos todos com maturidade suficiente. Não somos mais pessoas de 20 anos de idade. Posso estar errado, mas o tempo dirá quem está certo”, destacou o piloto.

Em sua primeira passagem pela Ferrari, entre 2007 e 2009, Raikkonen acumulou desempenho irregular. Depois de conquistar o título mundial em sua temporada inicial na escuderia italiana, o finlandês ficou em terceiro lugar, em 2008, e em sexto lugar, em 2009. Vinculado ao time sediado em Maranello até o final de 2010, o piloto foi liberado antecipadamente devido a acerto com Alonso, até então na Renault.

Fonte: GazetaEsportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *