F1: Reformas prometem mais velocidade a Interlagos

O autódromo de Interlagos vai oferecer um asfalto, com mais grip e sem ondulações, e uma ampla entrada da reta dos boxes para a decisão do Mundial de Fórmula 1 de 2007. A expectativa é que os carros melhorem o tempo de volta, endurecendo a disputa entre Lewis Hamilton, Fernando Alonso e Kimi Räikkönen. Neste domingo de manhã, a uma semana da corrida, o prefeito Gilberto Kassab fez uma visita surpresa ao autódromo e observou o trabalho do veículo especial de limpeza de pistas e aeroportos.

A chuva da manhã deste domingo foi um teste para o novo asfalto. “A drenagem está perfeita”, atestou Luis Ernesto Morales, engenheiro-chefe da organização, mostrando que a pista ficou seca, de maneira uniforme, em pouco tempo.

Na reforma de Interlagos, toda a camada de asfalto antigo foi retirada e substituída pelo tipo SMA – Stone Mastic Asphalt – que assegura mais resistência e durabilidade. A composição inclui pedra, asfalto e fibra de celulose e já utilizada em alguns circuitos europeus como Spa-Francorchamps e em auto-estradas.

O piloto Luciano Burti, que já passou pela Fórmula 1 e, atualmente, corre de Stock Car e é comentarista da Rede Globo de Televisão, percorreu os 4.309 metros do traçado e concluiu que a nova entrada da reta dos boxes, permitindo uma visibilidade melhor, poderá implicar em um décimo de segundo a menos para os carros de Fórmula 1.

Morales, responsável pela obra, acrescenta ainda que a aderência proporcionada pelo novo asfalto também contribuirá para voltas mais rápidas. “Os pilotos poderão acelerar mais em dois pontos capitais do traçado: a saída do Lago, onde iniciam o miolo, e a saída da Junção. Além disso, o asfalto está bem mais uniforme e homogêneo do que no ano passado”, explica.

A engenharia cumpriu as determinações da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), incluindo um cuidado especial no asfalto de dois pontos de alta velocidade – o final da Reta Oposta e final da Reta dos Boxes – onde os carros atingem os 320 km/h.

A conclusão dos trabalhos de recapeamento da pista, no último final de semana antes da corrida, ficou por conta de uma máquina alemã  – veículo para a limpeza de pistas especiais e aeroporto que retira a película de óleo que fica sobre o asfalto novo. Esta máquina, utilizada para a limpeza em grandes aeroportos internacionais como o de Frankfurt, opera com jato de água sob pressão e, ao mesmo tempo, suga a mistura de água e óleo. Em Interlagos, o veículo limpador trabalha com pressão de 2500 bar em uma velocidade 20 metros por minuto. O equipamento também deverá ser utilizado pela Infraero na manutenção dos aeroportos brasileiros, retirando a borracha depositada na pista.

Com esse tratamento, o asfalto novo ou ‘asfalto verde’, como é denominado na Fórmula 1 não estará tão escorregadio no primeiro dia de treinos, antes de ser devidamente emborrachado pelos pneus dos monopostos.

No sábado, dia 6 de outubro, durante o Simulado Geral para o Grande Prêmio do Brasil, os pilotos da Fórmula Brasil 1600 que deram algumas voltas na pista atestaram a qualidade do novo asfalto, dizendo que ele não tem imperfeições.

Imprevistos como uma lata de tinta que caiu no S do Senna também foram solucionados com uma inovação técnica. Em vez de pintar a área de preto – o que tornaria o asfalto mais escorregadio – o caminho foi lavar a área com água e detergente. E, nesta segunda-feira, uma outra máquina especial – jateadora com granalha de ferro – fará uma limpeza mais profunda, onde a granalha de ferro penetra no asfalto e, depois, é retirada através de um imã.

O simulado do dia 6 testou, outra vez, a eficiência do serviço do Hospital São Luiz, responsável pelo atendimento médico no autódromo. O trabalho de resgate simulado de piloto na pista e transporte para o hospital foi perfeito. O São Luiz contará com 155 profissionais, dos quais 37 médicos e 15 enfermeiros. As duas unidades do hospital – nos bairros do Morumbi e Santo Amaro – estarão de prontidão.

Para o público, Interlagos vai inaugurar uma nova arquibancada de concreto na reta dos boxes com capacidade para 5,3 mil lugares. Este lance passará a 8 mil lugares até o começo de 2008. A SP Turis, responsável pela administração do autódromo, promete para os próximos anos mais uma arquibancada fixa com capacidade para 10 mil espectadores.

O GP Brasil de Fórmula 1, última prova da temporada de 2007,  terá como eventos suporte corridas de duas categorias internacionais conhecidas: a Porsche Cup e a Trofeo Maserati.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *