F1: Russell pede desculpas a Bottas após acidente em Ímola: “não foi o meu dia de maior orgulho”.

 
George Russell pediu desculpas a Valtteri Bottas por seu comportamento após a batida do GP da Emilia Romagna, e admitiu que não foi seu ‘dia de maior orgulho’ na Fórmula 1.
Russell abandonou o GP da Emilia Romagna depois de colidir com Bottas em alta velocidade na aproximação da Curva 2 enquanto lutavam pela nona posição. O piloto da Williams ficou furioso com finlandês depois de acreditar que o piloto da Mercedes o empurrou deliberadamente para fora da pista.
Russell disse que Bottas quebrou um acordo de cavalheiros entre os pilotos sobre movimentos bruscos em alta velocidade – algo que Bottas negou. Os comissários consideraram o acidente como um incidente de corrida.
Após a batida, Russell foi até a cabine do carro de Bottas e “perguntou se ele estava tentando nos matar”. Mas, tendo refletido mais sobre o assunto, Russell foi mais conciliador na segunda-feira ao postar um pedido de desculpas nas redes sociais.
Ele disse que teve que assumir a responsabilidade por sua ultrapassagem ter terminado em um acidente, e aceitou que não se comportou da maneira correta depois.
“Ontem não foi o meu dia de maior orgulho”, disse.
“Eu sabia que seria uma das nossas melhores oportunidades de marcar pontos nesta temporada e, quando esses pontos são tão importantes quanto são para nós agora, às vezes você corre riscos. Não valeu a pena e tenho que assumir a responsabilidade por isso.”
“Tendo tido tempo para refletir sobre o que aconteceu depois, sei que deveria ter lidado melhor com toda a situação.”
“Peço desculpas ao Valtteri, à minha equipe e a todos que se sentiram decepcionados com minhas ações.”
“Não sou assim e espero mais de mim, pois sei que os outros esperam mais de mim. Eu aprendi algumas lições difíceis neste fim de semana, sairei disso como um piloto melhor e uma pessoa melhor.”
“Agora estou totalmente focado em Portugal e uma oportunidade de mostrar o que realmente faço. Obrigado por todas as mensagens, tanto positivas quanto negativas. Todas vão me ajudar a crescer”.
O britânico disse após a reunião dos comissários que conversaria com Bottas sobre o incidente para esclarecer as dúvidas nos próximos dias.
“Valtteri e eu vamos conversar depois e vamos limpar os ares”, disse Russell.
“Obviamente, no calor do momento, há muitas emoções, mas não tenho nenhuma intenção de guardar rancor ou ter qualquer relacionamento ruim com nenhum piloto do grid.”
“É minha intenção esclarecer as coisas com ele. Tenho certeza de que provavelmente teremos um telefonema esta semana apenas para deixar isso para trás e seguir em frente.”
“Somos todos pilotos. Estamos todos lutando por uma posição. E no momento é incrivelmente decepcionante, amargo, para todos nós. Seu coração para por um momento quando você bate a mais de 320 km/h. Você simplesmente não sabe o que vai acontecer.”
“Minha raiva em relação a ele no momento se deu mais porque eu pensei que ele nos colocou em perigo e foi um incidente incrivelmente assustador para ser honesto, naquela velocidade.”
Russell disse logo após o incidente que não entendia por que Bottas estava se defendendo dessa maneira pelo nono lugar, acrescentando: “Talvez se fosse outro piloto, ele não teria feito isso.”
O piloto da Williams é um membro do programa júnior da Mercedes e foi apontado como um possível substituto para Bottas em 2022.
Questionado sobre o comentário, Russell disse: “Não há tensão alguma entre Valtteri e eu.”
“Mas obviamente você pode aceitar esse comentário como quiser. Acho que ficou bem claro como se pretendia.”
“Mas talvez eu esteja errado. Talvez ele esteja apenas lutando por absolutamente todas as posições. E como eu disse, ele tem o direito de fazer isso”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *