F1: Segurança salvou a vida de Kubica, diz dirigente

O chefe da equipe BMW, Mario Theissen, disse que não tem dúvida de que o piloto Robert Kubica estaria morto se o acidente com o polonês tivesse ocorrido há dez anos.

“Ter de volta sem ferimentos um piloto após um acidente como aquele é fantástico. Acho que ele não teria sobrevivido a algo como isto há dez anos”, disse ao site britânico Autosport.

Thiessen contou que a equipe precisou esperar alguns minutos para perceber que Kubica não havia sofrido ferimentos graves.

“Nós recebemos informações da direção de prova talvez 15 minutos após o acidente e aí fomos ao centro médico, mas ele já havia sido levado ao hospital”.

Kubica, que sofreu uma torção no tornozelo, passou a noite no hospital, a título de observação, e deverá receber alta nesta segunda-feira.

Fonte: Terra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *