F1: Teto de gastos pode ‘minar imagem da F1’, diz Ferrari

Com o anúncio da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) de que o limite do teto salárial das equipes no ano que vem será de 40 milhões de libras (cerca R$ 129 milhões), Luca di Montezemolo, presidente da Ferrari, já se mostrou contra a medida. O dirigente italiano mandou uma carta para Max Mosley, chefe da FIA, reclamando sobre a polêmica decisão, informou a revista Autosport.

“Falando apenas sobre a questão do limite de orçamento, sempre tive preocupação com este fato, principalmente por achar que há sérias dificuldades técnicas em monitorar o teto. Além disso, qualquer controvérsia que tenha como tema este fato vai minar a imagem da Fórmula 1, e pode prejudicar os times envolvidos”, afirmou Montezemolo, que também acredita que o campeonato ficará injusto por causa disso.

“Também tenho dúvidas sobre a criação de duas categorias diferentes de equipes, pois uma vai inevitavelmente ter vantagens sobre a outra, tornando o campeonato injusto e até mesmo corrompido. Isso reduz o valor da Fórmula 1. Não acho que isso seja apropriado, conhecendo o que a categoria representa para os seus torcedores e participantes”, completou.

Entretanto, Max Mosley não demorou para responder. O inglês ressaltou o atual momento de crise econômica mundial e também cutucou as escuderias.

“Não podemos sentar e esperar que nada de ruim aconteça. Nós já perdemos um fabricante (Honda), e não podemos correr o risco de que outro saia. Fiz repetidos pedidos, mas nenhuma equipe de fábrica nos garantiu legalmente que vá permanecer no esporte. O tema é extremamente urgente, pois queremos permitir novos times e reduzir os custos. E quaisquer equipes que queiram competir em 2010 precisam estar prontas desde já”, confirmou.

Fonte: Gazeta Press

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *