F1: Toyota é acusada de espionar e roubar a Ferrari

Investigadores alemães apresentaram acusações contra três ex-dirigentes da Toyota Motorsport suspeitos de usarem tecnologia roubada da Ferrari para testar aerodinâmica de carros, informaram promotores de Colônia nesta segunda-feira.

Os dirigentes são acusados de violar a lei de competição alemã ao usarem um programa de análise de dados levado por um técnico que trocou a equipe Ferrari pela Toyota no início de 2002, de acordo com comunicado dos promotores.

A Toyota teria utilizado o programa em 2002 e 2003 para desenvolver carros de corrida apesar de ter conhecimento de que o software havia sido obtido ilegalmente, segundo o comunicado.

“Investigações separadas sobre o ex-membro da equipe Ferrari estão sendo realizadas na Itália e pelos promotores de Colônia”, acrescentou o documento.

Em comunicado, uma porta-voz da Toyota afirmou que a empresa havia sido informada dos acontecimentos.

“As três pessoas em questão, como verbalmente divulgado pelas autoridades de Colônia são, Ove Andersson (ex-vice-presidente e chefe da equipe), Gustav Brunner (ex-projetista chefe) e Rene Hilhorst (ex-chefe de aerodinâmica)”, disse o comunicado.

“A Toyota Motorsport não foi formalmente notificada sobre os acontecimentos e não tem conhecimento completo das acusações. A Toyota Motorsport gostaria de destacar que as acusações não são contra a companhia”, acrescentou o documento.

“Por esta razão, a Toyota deseja abster-se de futuros comentários, mas mantém a confiança de que a situação será resolvida de forma positiva para os envolvidos”, conta.

As acusações foram apresentadas em dezembro. Uma corte de Colônia especialista em crimes econômicos receberá a audiência deste caso, mas os promotores não informaram a data do julgamento.

A equipe Toyota de Fórmula 1 teve em 2005 seu melhor ano na categoria desde a estréia em 2002. A equipe, com os pilotos Ralf Schumacher e Janro Trulli, terminou em quarto lugar apenas 12 pontos atrás da Ferrari.

Fonte: Reuters

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *