F1: Webber bate, Vettel lidera e Barrichello preocupa na segunda sessão

Na comparação entre os treinos que abriram os preparativos para o Grande Prêmio de Cingapura, apenas uma coisa não mudou: ocorreu uma batida no mesmo lugar do polêmico acidente de Nelsinho Piquet em 2008. Desta vez quem atingiu o muro não foi Romain Grosjean e sim Mark Webber, cujo companheiro de Red Bull, Sebastian Vettel, saiu como o melhor piloto do dia.

Sem homogeneidade no que toca aos resultados, os testes asiáticos haviam deixado mais cedo Rubens Barrichello na ponta. O tempo de 1min50s356 do brasileiro, apenas o 11º colocado na nova tomada de tempos, seria ignorado depois por Vettel, que garantiu 1min48s650 para dominar a sexta-feira – seus principais perseguidores foram Fernando Alonso e Heikki Kovalainen, a quase três décimos de segundo atrás.

Nesse contexto, a única coincidência entre as duas sessões ficou para o acidente de Webber, que repetiu Grosjean ao se acidentar de forma parecida à de Nelsinho no ano passado na reta dos boxes. Ainda assim, o australiano, que interrompeu o treinamento com uma bandeira vermelha, acabou ficando na sexta colocação, comprovando o bom rendimento da Red Bull.

Na Renault, Alonso chegou a ameaçar Vettel no último minuto disponível para testar, porém não conseguiu tomar a liderança. O parceiro do espanhol na Renault, Grosjean, seguiu sofrendo com problemas físicos e terminou em antepenúltimo, a 2s3 do alemão. Por ter passado mal na quinta-feira, o francês deixou o reserva Lucas di Grassi na espera caso haja necessidade de uma substituição.

Destaque na primeira sessão, na qual garantiu hipotética primeira fila, a Brawn GP teve de se contentar com as quinta e 11ª posições mais tarde. Seu melhor representante foi Jenson Button, três décimos mais veloz que Rubinho. À frente da equipe inglesa, Nick Heidfeld surpreendeu ao dar o quarto lugar à BMW, que já havia figurado no top 10 anteriormente por meio de Robert Kubica.

Para Lewis Hamilton e a Ferrari, o clima foi de decepção ao fim do segundo treino. Mesmo tendo completado 28 voltas, o inglês acabou em nono, sendo superado por quatro décimos por Kovalainen. Já a escuderia italiana foi mal tanto com Kimi Raikkonen (14º colocado) quanto com Giancarlo Fisichella (16º), frustrando as expectativas após subir ao pódio nas últimas quatro etapas da Fórmula 1.

Confira o resultado do segundo treino em Cingapura:

1: Sebastian Vettel (ALE/Red Bull) – 1min48s650 (31 voltas)
2: Fernando Alonso (ESP/Renault) – 1min48s924 (27)
3: Heikki Kovalainen (FIN/McLaren) – 1min48s952 (30)
4: Nick Heidfeld (ALE/BMW) – 1min49s098 (31)
5: Jenson Button (ING/Brawn GP) – 1min49s311 (34)
6: Mark Webber (AUS/Red Bull) – 1min49s317 (14)
7: Nico Rosberg (ALE/Williams) – 1min49s333 (33)
8. Timo Glock (ALE/Toyota) – 1min49s342 (30)
9: Lewis Hamilton (ING/McLaren) – 1min49s358 (28)
10: Robert Kubica (POL/BMW) – 1min49s609 (24)
11: Rubens Barrichello (BRA/Brawn GP) – 1min49s616 (30)
12: Adrian Sutil (ALE/Force India) – 1min49s710 (31)
13: Jarno Trulli (ITA/Toyota) – 1min49s795 (29)
14: Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari) – 1min49s941 (29)
15: Kazuki Nakajima (JAP/Williams) – 1min50s023 (34)
16: Giancarlo Fisichella (ITA/Ferrari) – 1min50s253 (31)
17: Sébastien Buemi (SUI/Toro Rosso) – 1min50s527 (29)
18: Vintantonio Liuzzi (ITA/Force India) – 1min50s605 (28)
19: Romain Grosjean (FRA/Renault) – 1min50s972 (17)
20: Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso) – 1min51s423 (31)

Fonte: Gazeta Esportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *