F3 Sudamericana: Suzane Carvalho volta com vitória e defende Jacarepaguá

Convidada pela equipe Cesário Fórmula para correr a etapa carioca da Fórmula 3 Sudamericana na categoria Light, a piloto Suzane Carvalho não pensou duas vezes. Como seu equipamento de piloto estava em São Paulo, pediu macacão, sapatilha e luvas emprestados, e mesmo sem ter tido tempo de aprontar o carro para andar nos treinos, largou na 2ª corrida deste sábado, em Jacarepaguá, conseguindo a vitória.

“Foi espetacular! Eu estava há onze anos sem guiar um carro de Fórmula, e desde 97 sem sentar em um F3. Não podia perder a oportunidade de andar em Jacarepaguá.”

Suzane, que estava sem competir em carros desde 2002, quando participou de três etapas da Copa Clio, destacou a importância do automobilismo no Rio de Janeiro.

“Neste final de semana tivemos três categorias de automobilismo, sendo uma sul- americana, uma brasileira, e outra regional, com a presença de 77 pilotos de todo o Brasil, arquibancada cheia, e transmissão pela TV.

O autódromo de Jacarepaguá teve uma das melhores, mais completas e mais belas pistas do mundo. Hoje, com apenas metade de seu circuito funcionando, é ainda uma pista seletiva, segura e maravilhosa de se andar.

Em volta do autódromo surgiram empresas e condomínios residenciais, e este espaço deve ser mantido tanto para o desenvolvimento de componentes automotivos, aprendizado e profissionalização de mão de obra, escolas para o aperfeiçoamento da dirigibilidade tanto para carro como para moto, além de utilização para treinamentos de
ciclismo, automodelismo, kartismo para a formação de novos pilotos, e também como área de lazer. É um espaço imenso em que é possível conciliar atividades a motor ou não.

Temos que lutar por mantê-la, pois na localização em que está, é de fácil acesso e podemos formar e trabalhar com o amadurecimento dos motoristas e motociclistas de rua para a segurança de todos, além de ser um ponto turístico em potencial.”

Suzane, que foi Campeã da categoria Light da F3 em 1992, e é até hoje a única mulher no mundo a ter conquistado este título, o que a fez entrar para o Guinness Book e para a Enciclopédia Barsa, correu também no domingo, desta vez, chegando em 3°.

“Foi uma corrida bem disputada e ainda mais emocionante. Se tiver outra oportunidade, com certeza estarei lá. E uma das coisas que me deixou ainda mais feliz, é que não cansei nem senti nenhuma dor muscular. Não tive sequer uma bolhinha nas mãos. Sempre mantive meu preparo físico em dia para a hora que isso acontecesse, e o momento chegou. Só tenho que agradecer às academias em que treino, X-GYM, Forma Total e Físico e Forma, todas no Rio de Janeiro.”

Na corrida de sábado, o podium foi completado por Dorivaldo Gondra e Stuart Turvey. No domingo, o vencedor foi Bruno Boni, também da Cesário Fórmula, seguido por Stuart Turvey e Suzane.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *