F3 Sulamericana: Pilotos vão para a pista em Curitiba

Equipes enviam jovens pilotos para testes no circuito de Pinhais, na região metropolitana, visando a rodada dupla da semana que vem.

Várias equipes do Campeonato Sul-Americano de Fórmula 3 indicaram testes extras para seus jovens pupilos na pista de Curitiba, local do próximo encontro nos dias 26 e 27 de maio. Nesta sexta-feira (18), pilotos da categoria continental estiveram no traçado paranaense, mas com carros de outras categorias – já que o regulamento da Fórmula 3 proíbe treinos com seus bólidos em traçados que não sejam a pista-sede de cada equipe. “Valeu a pena para pegar mão do traçado”, registrou o goiano Rodolpho Santos (Neo Química/Palu Suisse/Wurth), que foi um dos que se deslocaram para o traçado de Pinhais, na Grande Curitiba. “Eu não corria aqui desde o ano passado, quando disputei a Fórmula Renault. Então, este treino ajudou muito”, continua Santos. Depois das vitórias do Giovanni Cerutti (Galois/Gênese) na pista gaúcha de Tarumã, a equipe Castilho Motorsport é vista como forte candidata a mais pódios em Curitiba já que o traçado paranaense é a pista-sede daquele time.

Rodolpho, que este ano compete pela brasiliense Amir Nasr Racing, concentrou-se na sua familiarização com detalhes do piso e na localização de pontos de frenagem e reaceleração. “Saber cada irregularidade, desnível e característica das zebras vai me ajudar a chegar mais rápido tanto no acerto quando no ritmo ideal aqui na pista, quando viermos correr aqui na semana que vem”, avaliou. “Os pontos de frenagem e retomada de velocidade, obviamente, serão outros com o Fórmula 3, que é muito mais eficiente. Mas, mesmo com outro carro, já tenho um ponto de referência que vai me ajudar nos treinos oficiais”, detalha o piloto da Neosoro/Palu Suisse/Wurth.

O dia, porém, foi marcado pela chuva, o que influenciou bastante os treinos: “As referências mudam bastante, mas se chover na semana que vem este teste terá sido um excelente investimento”, diz o goiano. O piloto treinou utilizando um chassi Techspeed com motor Ford da categoria regional Fórmula São Paulo – que disputa suas provas somente em Interlagos. “É um carro mais lento até do que o Fórmula Renault que usei no ano passado em Curitiba, mas tem a vantagem de permitir que você abuse mais já que tem custo de manutenção mais barato. Então, se o piloto bater, não tem grande prejuízo. Isso é importante para quem é novato, como a maior parte dos pilotos atuais da Fórmula 3”.

Outros presentes foram os paulistas Fábio Beretta (Avanti/Itupetro), Denis Navarro (Navarro Distribuidora/Medley/Itupetro), Douglas Hiar (Tx Wear/RG 518/Lion of Porsche/DSN) e Nathan Silva (Puma). Apenas Rodolpho Santos e Nathan utilizaram o Techspeed/Ford em seu treino. Os demais optaram pelo Tatuus/Renault RS 2.0 (da Fórmula Renault).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *