FIA GT1: Bernoldi lidera treino em Silverstone

Piloto paranaense foi o mais rápido na primeira sessão no circuito inglês, que recebe a segunda etapa do Campeonato Mundial de GT1

Enrique Bernoldi (Sangari) foi o mais rápido na primeira sessão de treinos livres para a etapa da Inglaterra do Campeonato Mundial de GT1, que reúne alguns dos carros mais desejados do planeta. A bordo do Maserati MC12 da equipe alemã Vitaphone Racing, que divide com o português Miguel Ramos, o paranaense marcou 2min01s603 na mais rápida de suas 22 voltas pelos 5.900 metros do novo traçado de Silverstone – circuito em que Bernoldi havia guiado pela última vez em 2005, durante testes com a então equipe BAR de Fórmula 1.

“Começar com o melhor tempo é sempre bom, mas hoje não pudemos saber de fato as reais condições dos outros pilotos”, disse Enrique, que no acumulado das duas sessões ficou com a quarta melhor marca do dia. O curitibano deu poucas voltas na parte da tarde para que seu companheiro português completasse mais giros com o MC12, e não chegou a usar pneus novos. Nas mãos de Ramos, a dupla ficou em décimo na segunda sessão, que foi liderada por outro MC12, guiado por Matteo Bobbi.

“O primeiro treino foi muito bom, mas à tarde os outros pilotos usaram pneus novos, e eu não. E usar um jogo com 30 voltas faz bastante diferença”, analisou o piloto, que acumula experiência nas principais categorias do planeta. Para este final de semana, a FIA (Federação Internacional do Automóvel, órgão regulador do esporte) aumentou em dez quilos o lastro obrigatório dos Maserati, levando o carro a carregar 35 quilos como medida de equilíbrio – uma característica das competições do tipo Gran Turismo pelo mundo. Entretanto, para compensar a perda de velocidade nas retas, a SRO, empresa que organiza o campeonato, aumentou o diâmetro do restritor de ar do motor, melhorando sua eficiência.

“Já foi possível sentir uma melhora, principalmente em trechos de mais aceleração, como saídas de curva e nas retas. O motor está respondendo bem melhor, está mais ‘vivo’, por assim dizer, e mais rápido”, analisou. O equilíbrio, no entanto, só será possível de ser verificado a partir de amanhã, quando acontece o treino classificatório e a corrida de classificação, que dá pontos aos três primeiros colocados e define o grid da “Championship Race”, que acontece no domingo.

“É amanhã que vamos saber das nossas reais condições e a dos concorrentes”, disse.

A segunda etapa do Mundial de GT1 terá transmissão ao vivo pela Bloomberg, canal 98 para assinantes NET.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *