Fórmula E: Di Grassi vai para última etapa com chances matemáticas de ser vice-campeão

Incidente raro e pneu furado tiraram do brasileiro as condições de brigar por mais um pódio em Berlim

Um incidente raro e um pneu furado praticamente tiraram do brasileiro Lucas Di Grassi as chances de brigar por mais um pódio durante a 10ª etapa do Campeonato Mundial de Fórmula E, nesta quarta-feira, em Berlim (Alemanha). Durante o classificatório, Lucas e os pilotos António Félix da Costa (Portugal, DS Techeetah), Jean Eric Vergne  (França, DS Techeetah), Maximilian Guenther (Alemanha, BMW Andretti), Sébastien Buemi (Suíça, Nissan E.DAMS) e Mitch Evans (Nova Zelândia, Panasonic Jaguar) receberam ordem de suas equipes para entrar na pista faltando apenas alguns minutos para o encerramento do Q1, a fase de grupos das tomadas de tempo.

A estratégia de todos era – como sempre é – tentar a volta rápida nos minutos finais, de forma a pegar o piso em melhores condições de aderência e assim ganhar alguns décimos de segundo – a pole, para se ter uma ideia, foi decidida por apenas meio centésimo a favor do britânico Oliver Rowland (Nissan E.DAMS), que venceria a prova. Mas Di Grassi foi surpreendido pelos carros de Vergne, Da Costa e Buemi andando em um ritmo lento quando ia abrir sua volta rápida. O brasileiro foi trapalhado e juntamente com os três outros pilotos cruzou a linha de chegada já fora do tempo permitido para abrir a volta rápida. Com isso, os quatro pilotos não registraram tempos para o classificatório.

“Eu estava no primeiro grupo, que sempre pega a pista com menos aderência, e se você quer ter uma chance de passar para o Q2 precisa ir para a pista o mais perto do final do Q1 possível”, lembra Lucas. “Mas quando iniciei a minha volta rápida os carros à frente estavam andando tão devagar que todos nós cruzamos a linha de chegada muito tarde”, completa.

Com isso, o piloto da equipe Audi Sport Abt Schaeffler teve que largar da 23ª posição. Durante a corrida, Lucas e o português António Félix da Costa acabaram se tocando em um momento em que o brasileiro ultrapassava o piloto da DS Techeetah para ganhar o 14º lugar, resultando no furo do pneu traseiro direito de Di Grassi – que foi ao box e voltou para a pista já sem qualquer possibilidade de brigar por pontos.

“Certamente esse não era o resultado que nossa equipe sonhava. Tínhamos potencial para brigar pelo pódio e estar mais próximos da disputa pelo vice-campeonato. Mas as corridas são assim. Especialmente na Fórmula E, tudo pode acontecer. Amanhã teremos a última etapa do Campeonato e espero que possamos encerrar a temporada com um bom resultado. Vamos brigar até a última volta”, declarou Di Grassi.

Lucas ocupa agora a sétima posição na tabela, com 69 pontos. O brasileiro tem chances matemáticas de terminar o ano como vice-campeão, colocação que será o objetivo de mais seis pilotos na prova de encerramento da temporada. A 11ª etapa do Mundial de Fórmula E terá o classificatório e a corrida realizados nesta quinta-feira. A definição do grid acontece às 9h e a prova às 14h, ambos com transmissão ao vivo pelo canal Fox Sports.

 

Resultado da décima etapa da Fórmula E, em Berlim:

1) Oliver Rowland (Inglaterra, Nissan E.DAMS), 47min28s880;

2) Robin Frijns (Holanda, Envision Virgin Racing), a 1s903;

3) René Rast (Alemanha, Audi Sport Abt Schaeffler), a 7s490;

4) André Lotterer (Alemanha, Porsche), a 7s863;

5) Alex Lynn (Inglaterra, Mahindra Racing), a 11s441;

6) Neel Jani (Suíça, Tag Heuer Porsche Team), a 12s992;

7) Mitch Evans (Nova Zelândia, Panasonic Jaguar), a 14s106;

8) Edoardo Mortara (Suíça, Venturi Racing), a 17s134;

9) Stoffel Vandoorne (Bélgica, Mercedes-Benz EQ), a 18s949;

10) Sébastien Buemi (Suíça, Nissan E.DAMS), a 19s731.

 

Classificação do campeonato após dez etapas:

1) António Félix da Costa (Portugal, DS Techeetah), 156 pontos;

2) Oliver Rowland (Inglaterra, Nissan E.DAMS), 83;

3) Jean Eric Vergne  (França, DS Techeetah), 80;

4) Mitch Evans (Nova Zelândia, Panasonic Jaguar), 71;

5) André Lotterer (Alemanha, Porsche), 71;

6) Maximilian Guenther (Alemanha, BMW Andretti), 69;

7) Lucas Di Grassi (Brasil, Audi Sport Abt Schaeffler), 69;

8) Sébastien Buemi (Suíça, Nissan E.DAMS), 68;

9) Stoffel Vandoorne (Bélgica, Mercedes-Benz EQ), 59;

10) Robin Frijns (Holanda, Envision Virgin Racing), 58.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *