FRenault: Pole position venceu todas as provas em Campo Grande

O traçado do Autódromo Internacional de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, é conhecido pela suas dificuldades específicas. Por ser uma pista pouco utilizada durante o ano, os pilotos costumam ter problemas com a sujeira do asfalto, sobretudo fora do ‘trilho limpo emborrachado’ que se forma por onde os carros passam. Talvez seja por isso que, desde 2003, quando a pista começou a receber as provas da Fórmula Renault, quem largou na pole position garantiu a vitória na corrida: Allam Khodair (2003), Allan Hellmeister (2004) e Bia Figueiredo (2005).

“A sujeira da pista é a principal responsável pela dificuldade no momento das ultrapassagens: quem larga na frente, leva vantagem”, analisa Rodolpho Santos (Neosoro/Palu Suisse), que disputa neste fim de semana a rodada dupla em Campo Grande, válida pela 3ª e 4ª etapas da temporada 2006 da Fórmula Renault.

O paulista Mario Romancini (Full Time Sports), segundo colocado na 2ª etapa da da F-Renault, em Curitiba (PR), concorda. “Perde-se muita aderência saindo do trilho que se forma entre a areia após algumas voltas. Por esse motivo, quando o piloto que vem atrás tira para ultrapassar, acaba escorregando e não consegue completar a manobra”, analisou.

Em 2003, antes de vencer a etapa de estréia da F-Renault em Campo Grande, Allam Khodair cravou a pole. A mesma coisa aconteceu com o pole position Allan Hellmeister no ano seguinte. Hellmeister venceu a corrida de ponta a ponta e terminou mais de 14 segundos à frente do segundo colocado – uma distância enorme. Já no ano passado foi a vez de Bia Figueiredo largar na pole e se tornar a primeira mulher a vencer uma corrida da Fórmula Renault no mundo. Ela também liderou de ponta a ponta.

“Por isso vou concentrar boa parte dos meus esforços no treino de classificação. Ele já é meio caminho para as corridas”, explica Romancini. “As tomadas de tempo são realmente importantes, porque sua posição no grid praticamente define as chances de uma boa colocação no final da corrida”, completa Rodolpho Santos, de 17 anos. Ambos pilotos treinaram em Campo Grande com carros da Fórmula São Paulo (antiga Fórmula Ford).

Já na Copa Clio a história é semelhante, porém no ano passado José Códova venceu sem largar da pole position. Nos dois anos anteriores, Renê Bauer e Elias Jr. Marcaram a pole no treino de sábado para vencer na prova de domingo.

“Na Copa Clio ultrapassar já é difícil em outras pistas por causa do equilíbrio entre os carros, e aqui a situação piora . Mas acho que há mais chances de haver trocas de posição entre os ponteiros nesse tipo de traçado em corridas de turismo porque a configuração dos carros permite pequenos toques na disputa”, analisou Pedro Larriera (El Tranvia / Elemidia), integrante da equipe Bolívar Motorsport. O time paulista foi o grande destaque da primeira etapa, ao conquistar as três primeiras posições na corrida de Curitiba.

A Fórmula Renault abre sua programação nesta sexta-feira (12) com dois treinos livres, às 9h00 e às 11h15 (no horário de Brasília). Às 14h45, os pilotos voltam à pista para as tomadas de tempo da 3ª etapa. No sábado, a categoria define o grid da 4ª etapa a partir das 9h00 e disputa a 3ª etapa às 13h33 (28 voltas). Sempre no horário de Brasília, no domingo haverá um treino de aquecimento, às 8h40, e a largada para a 4ª etapa, às 13h03, também para 28 voltas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *