GP2 Series: Bruno Senna chega novamente em 3º na Hungria

Vice-líder desconta mais dois pontos da vantagem de Giorgio Pantano.

Bruno Senna reduziu ainda mais a diferença que o separa do líder Giorgio Pantano ao chegar novamente em 3º na segunda corrida do Grande Prêmio da Hungria, válida pela 14ª etapa da Fórmula GP2. O piloto da iSport conquistou mais um bom resultado na temporada e que só não foi ainda melhor porque o italiano terminou em 5º na prova deste domingo, vencida pelo suíço Sébastien Buemi. “Estou muito feliz. Antes de chegar aqui, precisava descontar quase quatro pontos por rodada dupla. Agora, basta metade”, comemorou Bruno, que subiu para 58 contra 65 de Pantano.


Bruno fez outra corrida consciente e madura. Sexto no grid, manteve a colocação na largada e soube aproveitar os erros, choques e quebras dos pilotos que estavam à sua frente. Antes mesmo da volta de apresentação, seu companheiro de equipe Karun Chandok – que partiria em 5º – não conseguiu colocar o carro em movimento e foi removido para os boxes. Depois, ganhou mais duas posições quando Lucas di Grassi tocou em Mike Conway e fez o inglês cair para 12º. Punido com uma passagem pelos boxes, Di Grassi acabou apenas em 10º. E finalmente, já no final da prova, garantiu o pódio com o abandono de Pastor Maldonado.


“Dei um pouco de sorte, principalmente pelo incidente com o Di Grassi”, reconheceu Bruno, que teve o mérito de escapar das habituais confusões iniciais da categoria. Na frente, o pole Andy Soucek comandou as 12 voltas iniciais, mas entregaria a vitória – a segunda do ano – para Buemi ao bloquear as rodas dianteiras numa das curvas de Hungaroring. Com o caminho aberto, o suíço abriu uma margem segura sobre o segundo colocado. Nos instantes derradeiros, Bruno ainda forçou o ritmo na tentativa de assumir o segundo lugar, mas não houve tempo e recebeu a bandeira quadriculada a menos de um décimo de segundo do espanhol.


“O carro do Maldonado estava jorrando óleo, que caía sobre as rodas traseiras e o deixava sem aderência. Como eu vinha logo atrás, também estava escorregando um pouco e precisava ficar afastado. Quando parou, e tive de desviar para não bater no carro dele, demorei duas voltas para recuperar a confiança no grip. Depois, me aproximei rapidamente do Soucek e cruzamos a linha de chegada lado a lado. Uma volta a mais seria suficiente para eu ultrapassá-lo. Aliás, nem isso, naquela reta mesmo já daria”, lamentou o brasileiro.


Restam ainda três rodadas duplas para o fim do campeonato, a próxima delas marcada para o novo circuito urbano de Valência, na Espanha. Bruno fez o reconhecimento do traçado há duas semanas com um Fórmula 3. Gostou da pista e disse que, ao contrário das ruas de Mônaco, as ultrapassagens serão possíveis nas amplas avenidas da cidade. “As retas são grandes e largas. O problema lá é que muita gente vai se encher de confiança por causa disso e as pancadas poderão ser violentas.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *