GP2 Series: Duelo entre ex-pilotos da Fórmula 1 marca a primeira sessão de testes

O alemão Timo Glock e o brasileiro Antonio Pizzonia começam monopolizando tempos no primeiro treino.

A primeira sessão de treinos coletivos da Fórmula GP2, realizada na manhã desta quarta-feira (21/2) no circuito de 3.853 metros de Paul Ricard, na França, foi marcado por aquele que pode ser o principal duelo desta temporada da categoria de acesso à Formula 1, entre os pilotos que já tiveram passagem pela modalidade máxima do automobilismo: Timo Glock (iSport) e Antonio Pizzonia (FMS International). O alemão alcançou a melhor marca (1min14s204), apenas 78 milésimos de segundo mais rápido do que o brasileiro. “Foi muito bom. Eu estou meio enferrujado, não piloto há muitos meses, e vários pilotos que moram aqui na Europa estiveram em atividade, treinando em outros carros. Foi uma manhã de readaptação e me surpreendi com o bom tempo que fizemos”, comemorou o amazonense.

Entre outros pilotos que já tiveram passagem pela Fórmula 1, o italiano Giorgio Pantano (Campos) foi o décimo, e o japonês Sakon Yamamoto (BCN) ficou com a 25ª marca. O segundo brasileiro mais rápido foi Lucas Di Grassi (ART), com um bom sétimo tempo, seguido de Xandinho Negrão (Minardi/Piquet), em nono, e o estreante Bruno Senna (Arden), o com 22º lugar entre os 26 pilotos.

Depois de dois meses e meio de férias, as 13 equipes da Fórmula GP2 voltaram à atividade realizando o primeiro de dois dias de testes em Paul Ricard, debaixo de nebulosidade e temperatura de 15º graus centígrados. A maior novidade dos carros 2007 é o novo kit aerodinâmico, com novas asas, laterais e capô do motor. “As mudanças aerodinâmicas não chegaram nem a 1% de down force a mais, foi mínima a diferença. Na Fórmula 1, de uma temporada para outra há um ganho entre 10 e 15%. Talvez haja um ganho quase imperceptível, de um décimo de segundo”, avaliou o ex-piloto de testes da Williams F1.

Para o período da tarde, a Fisichella Motor Sport International vai se concentrar em simulação de corrida, completando muitas voltas com tanque de combustível cheio e pneus usados. “Nossa avaliação do treino da manhã foi extremamente positiva, ainda mais depois que verificamos que a mola dianteira direita escapou e isto tirou um pouco de pré-carga. Então, vamos continuar trabalhando em coisas que exijam menos sensibilidade, para que eu possa entrar em forma e amanhã vamos fazer novas experiências”, explicou Pizzonia.

Tempos do treino matutino da GP2 na quarta-feira:

1 – Timo Glock – iSport – 1’14″204 – 18 voltas
2 – Antonio Pizzonia – FMSI – 1’14″282 – 28
3 – Javier Villa – Racing Engineering – 1’14″312 – 22
4 – Pastor Maldonado – Trident – 1’14″405
5 – Franck Perera – Racing Engineering – 1’14″418 – 24
6 – Luca Filippi – Super Nova – 1’14″426 – 19
7 – Lucas Di Grassi – ART – 1’14″467 – 30
8 – Kohei Hirate – Trident – 1’14″475 – 23
9 – Alexandre Negrao – Minardi/Piquet – 1’14″548 – 29
10 – Giorgio Pantano – Campos – 1’14″782 – 24
11 – Ricardo Risatti – BCN – 1’14″806 – 26
12 – Borja Garcia – Durango – 1’14″826 – 24
13 – Karun Chandhok – Durango – 1’14″983 – 32
14 – Mike Conway – Super Nova – 1’15″030 – 30
15 – Roldan Rodriguez – Minardi/Piquet – 1’15″065 – 28
16 – Andreas Zuber – iSport – 1’15″078 – 21
17 – Nicolas Lapierre – Dams – 1’15″125 – 22
18 – Michael Ammermuller – ART – 1’15″130 – 31
19 – Kazuki Nakajima – Dams – 1’15″163 – 30
20 – Jason Tahinci – FMSI – 1’15″437 – 27
21 – Andy Soucek – DPR – 1’15″484 – 11
22 – Bruno Senna – Arden – 1’15″656 – 34
23 – Adrian Zaugg – Arden – 1’16″225 – 31
24 – Christian Bakkerud – DPR – 1’16″470 – 17
25 – Sakon Yamamoto – BCN – 1’16″824 – 28
26 – Vitaly Petrov – Campos – sem tempo – 3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *