GP2 Series: Motor e freios complicam vida de Bruno Senna

Um motor estourado pela manhã e os recorrentes problemas com os freios do carro da Arden International ao longo do dia complicaram os testes de Bruno Senna em Paul Ricard (França) nesta quinta-feira.

Sem ter utilizado sequer o segundo jogo de pneus novos a que tinha direito, o piloto paulista ficou apenas em 25º no agregado das duas sessões. O austríaco Andreas Zuber, da iSport, foi o mais rápido.

“Perdi metade da manhã nos boxes por causa da quebra do motor. À tarde, o carro saía de traseira toda vez que eu encostava no pedal de freio. No final, foi piorando tanto que provoquei bandeiras vermelhas por causa de três rodadas quase seguidas. Simplesmente, não havia sentido no que estava acontecendo. Mais tarde, a equipe apurou que os freios estavam totalmente descompensados. Os dianteiros não atingiam a temperatura ideal e os traseiros esquentavam demais. A equipe está investigando as causas. Pode ser que tenha ocorrido algum problema durante a instalação do novo motor”, explicou.

Foi, enfim, um dia difícil. “Minha melhor volta veio com pneus de 40 voltas, o que dá uma boa idéia de como estava o carro. O único ponto positivo é que terei três jogos de pneus novos para o segundo dia. Vamos treinar num traçado diferente, que também não é a variante 2A que usamos em fevereiro. A organização da categoria permitiu a utilização da configuração aerodinâmica que usaremos no circuito de rua de Mônaco, que pede o máximo de downforce”, disse Bruno Senna.

Os treinos de amanhã em Paul Ricard serão os últimos antes da corrida de estréia de Bruno Senna na Fórmula GP2. O terceiro colocado na Fórmula 3 inglesa em 2006 pretende permanecer dois anos na categoria antes de sonhar com uma chance na Fórmula 1. O calendário será aberto com a rodada dupla do GP do Bahrein, dias 14 e 15 de abril no circuito de Sakhir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *