GT3 Brasil: Carros voltam com novidades ao circuito de Interlagos

Categoria fez novas mudanças para equilíbrio de desempenho e espera proximidade ainda maior entre os modelos em São Paulo

A categoria que volta ao circuito de Interlagos neste fim de semana é razoavelmente diferente daquela que abriu o campeonato na mesma pista, há pouco menos de dois meses, em meados de março. O Itaipava GT Brasil mudou bastante na parte técnica: do favoritismo absoluto de um único modelo para a expectativa de não ter favoritos na terceira rodada dupla do campeonato. Neste sábado (15) e domingo (16), as provas de número cinco e seis vão mostrar a cara da categoria após as novas soluções de equilíbrio de desempenho.

O modelo que ganhou três das quatro corridas até aqui, o Lamborghini Gallardo LP560, teve sua performance ainda mais limitada. O carro, que utilizava dois restritores de 45 mm, agora terá dois de 42 mm. “O Lambo é um carro forte e vai dar trabalho para os concorrentes. Tanto que mesmo após o primeiro equilíbrio de desempenho ele andou menos, mas continuou confiável e rápido”, aposta Rafael Daniel, que lidera o campeonato pilotando um dos modelos da marca italiana em parceria com Claudio Dahruj.

No caso deles, a preocupação com a próxima corrida é ainda maior em função do chamado lastro de sucesso, previsto no regulamento como outra forma de impedir domínio absoluto. A cada etapa, os três pilotos ou duplas que somarem mais pontos recebem pesos extras equivalentes (o primeiro colocado ganha 25 kg a mais para as provas seguintes, o segundo 15 kg e o terceiro 10 kg). Desta forma, o lastro total acumulado no carro de Rafael Daniel e Claudio Dahruj, maiores pontuadores nas duas rodadas duplas, é de 50 kg.

“Será uma corrida muito complicada para nós. Com os 50 kg a mais, teremos problemas. A pista tem muitas retas, subidas e seremos muito prejudicados com todo este peso extra”, acrescenta Rafael Daniel. Mas o processo de equilíbrio de desempenho prevê redução de potência também no principal concorrente do Lamborghini Gallardo LP560, o Ford GT 40. O carro utilizado justamente pelos vice-líderes do campeonato, Matheus Stumpf e Valdeno Brito, passará dos restritores de 45 mm para dois de 44 mm.

“O motor não é a única vantagem deles. Seria preciso encontrar alguns outros métodos para reduzir vantagem também nas curvas, mas isso já permite um novo começo”, analisa Matheus Stumpf – eles estão doze pontos atrás dos líderes: a tabela de classificação aponta 56 pontos contra 68. “Com a limitação dos dois carros, a categoria ficará bem mais competitiva, porque muito se fala do Lamborghini, mas o Ford também está acima dos demais. O equilíbrio precisa ser feito pensando em todos”, conclui Matheus Stumpf.

Quem não vai nem sentir a diferença é a dupla Andreas Mattheis e Xandy Negrão (que vinha sendo substituído pelo filho, Xandinho Negrão). O carro deles, um Ford GT, não ficou pronto depois do acidente sofrido no treino de aquecimento na segunda rodada dupla da temporada, em Pinhais (PR), impedindo a participação neste fim de semana. A ausência acelerou o processo de troca de carro dos bicampeões do Itaipava GT Brasil (venceram os campeonatos de 2007 e 2008). Eles embarcaram para a Alemanha para negociar a chegada do Audi R8.

Outra dupla que não participa em função de um acidente sofrido em Pinhais é Fernando Poeta e Sergio Lucio, que ainda trabalham na recuperação do modelo Ferrari F430. A falta de dois carros na Itaipava GTBR3 deve ser compensada pela chegada de novos competidores na Itaipava GTBR4. A expectativa é de caras novas no grid da categoria – além da já esperada troca de carro de algumas duplas, que passarão do Maserati Trofeo para o Ferrari Challenge. Na Itaipava GTBR3, a expectativa é saber se haverá um novo modelo vencendo em 2010.

Por enquanto, além das vitórias do Lamborghini Gallardo LP560, apenas o modelo Ferrari F430 conseguiu vencer, pelas mãos dos atuais campeões, Claudio Ricci e Rafael Derani. Eles ganharam a primeira das duas corridas de Pinhais. Nesta próxima etapa, a dupla ainda não contará com o aguardado novo kit de motor, que deve aproximar o carro dos demais pelo menos em termos de potência. O upgrade está confirmado somente para as provas seguintes, no Rio de Janeiro (RJ), válidas como sétima e oitava do calendário.

“Com a equalização, vamos andar mais próximos do Lambo e do Ford, mas ainda não podemos contar com o kit de motor, então vamos procurar fazer duas corridas para pontuar bem. Nós sabemos que vencer no momento é difícil, mas soubemos aproveitar as circunstancias em Pinhais”, destaca Claudio Ricci. Circunstancias que também foram muito bem aproveitadas por Pedro Queirolo, piloto do Dodge Viper Competition Coupe, que pulou para a quarta colocação no campeonato com duas corridas muito consistentes em Pinhais.

E pelo que se viu nas duas primeiras rodadas duplas do campeonato, o resultado está longe de ser uma surpresa. “Na verdade, acho que o nosso carro é rápido de reta e constante na corrida, tanto que terminamos bem as duas provas de Pinhais e só não estamos numa posição melhor no campeonato porque em uma das corridas de Interlagos fomos punidos por fazer o pit stop meio segundo abaixo do tempo mínimo permitido e ficamos sem combustível na outra”, destaca Pedro Queirolo.

Assim como na etapa anterior, ele e seus companheiros de equipe, Marcello Sant’Anna e Leonardo Vital, terão um desafio pela frente, utilizando os pneus mais duros da Pirelli, quando o modelo claramente se adapta melhor ao composto ainda não disponível, mais macio, da Michelin. Pedro Queirolo está cinco pontos distante da dupla que ocupa a terceira posição no campeonato, Ricardo Maurício e Bruno Garfinkel, que demonstram receio com as mudanças técnicas no Lamborghini Gallardo LP560.

“Pelo que se viu em Pinhais, o Ford GT já estava mais rápido que o Lambo nas retas. Espero que as novas alterações não tirem muito do nosso desempenho. Temos que respeitar o regulamento, mas o nosso carro já estava com uma série de restrições”, conta Ricardo Maurício. São sete os modelos Lamborghini Gallardo LP560, maioria na lista de inscritos. Entre eles, o carro pilotado pelos atuais vice-campeões, Allam Khodair e Marcelo Hahn. Os dois tinham boas chances na primeira passagem da categoria por São Paulo.

Marcelo Hahn chegou a liderar uma das provas da rodada dupla antes de sofrer um toque de Claudio Dahruj durante uma relargada – acidente que atrapalhou a corrida de ambos. A oportunidade de fazer tudo diferente chega neste fim de semana, com a terceira etapa e as corridas de número cinco e seis. Diferente mesmo deve estar o clima: a previsão é de tempo nublado durante todo o fim de semana, mas a possibilidade de chover é pequena. A prova de domingo será transmitida mais uma vez ao vivo pela RedeTV!, às 13h00.

A PROGRAMAÇÃO EM INTERLAGOS
Sexta-feira (14)
08h55 – 09h50 1º Treino Livre – TNT SuperBike
10h00 – 10h45 1º Treino Livre – Itaipava GT Brasil
10h55 – 11h50 2º Treino Livre – TNT SuperBike
13h00 – 13h45 2º Treino Livre – Itaipava GT Brasil
14h55 – 15h50 3º Treino Livre – TNT SuperBike
16h00 – 16h45 3º Treino Livre – Itaipava GT Brasil
Sábado (15)
08h30 – 09h15 1º Treino Classificatório – TNT SuperBike
09h25 – 10h10 4º Treino Livre – Itaipava GT Brasil
10h20 – 11h05 2º Treino Classificatório – TNT SuperBike
11h15 – 12h00 1º Treino Classificatório – Itaipava GT Brasil
12h15 – 13h00 2º Treino Classificatório – Itaipava GT Brasil
13h05 – 13h50 3º Treino Classificatório – TNT SuperBike
15h00 – 15h15 Super Pole
15h50 1ª Corrida – Itaipava GT Brasil
Domingo (16)
09h45 – 10h00 Warm Up – Itaipava GT Brasil
10h15 – 10h30 Warm Up – TNT SuperBike
13h00 2ª Corrida – Itaipava GT Brasil
14h30 Corrida – TNT SuperBike

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *